Victor

Descoberto o agente causador das aftas

Descoberto o agente causador das aftas

Um estudo conduzido por pesquisadores do King’s College London e da Universidade de Pittsburgh identificou os mecanismos através dos quais o nosso sistema imune fica a detecta que a Candida albicans, agente causador das aftas bucais, ‘invadiu’ o organismo.
De acordo com o Dentistry Today, o grande responsável, segundo o estudo, é uma toxina peptídea fúngica chamada Candidalysin, que cria orifícios nas células que revestem a cavidade bucal e que é identificada pelo sistema imune.

A infecção da mucosa bucal por aftas ocorre, sobretudo, quando o sistema imune do paciente está comprometido, razão pela qual as crianças são tão suscetíveis às aftas, uma vez que possuem um sistema imune ainda imaturo, assim como os pacientes com HIV e pessoas que fazem uso de imunossupressores, como os pacientes oncológicos.

Sistema imune em dia: melhor proteção

De acordo com os autores do estudo agora publicado, até agora “pouco se sabia sobre como a imunidade a fungos na mucosa oral acontecia”, assim como a causa por trás do fato de este patógeno não se conseguir se desenvolver em humanos saudáveis.

“Para utilizar uma analogia com Game of Thrones, as células epiteliais da mucosa bucal formam uma parede protetora que mantém os invasores da Candida na costa. Patrulhando essa parede estão as células T, que usam a IL-17 como a sua arma para proteger o reino”, explicam os responsáveis pelo estudo.

Posted by Victor in Estudos, 0 comments
Vem aí: Produto para regeneração de tecidos moles

Vem aí: Produto para regeneração de tecidos moles

Como uma opção de tratamento alternativa para enxertos de tecido conjuntivo, a empresa suíça Geistlich Biomaterials lançou o Fibro-Gide Collagen Matrix no Encontro Científico Anual da Associação Europeia de Integração Óssea (EAO), em Madri. O novo produto foi desenvolvido para regeneração de tecidos moles no rebordo alveolar em torno de dentes naturais e implantes e estará disponível em dois tamanhos.

De acordo com o fabricante, o Fibro-Gide deve ser usado como um patíbulo submerso em áreas onde um aumento na espessura do tecido mole é clinicamente desejado. Sua rede porosa apoia a formação de tecido conjuntivo novo (angiogênese) e a estabilidade da rede de colágeno imersa em uma situação de cura. O smart linking de colágeno reconstituído oferece estabilidade de volume.

Moldagem

Quanto ao manuseio, Fibro-Gide pode ser moldado para as dimensões desejadas tanto seco quanto úmido, e não requer pre tratamento. Uma vez que a matriz está encharcada, adapta-se perfeitamente aos contornos e adere bem ao defeito, acrescentou a empresa.

O diretor científico da Geistlich, Dr. Terance Hart, comentou que a razão para o desenvolvimento da matriz foi a crescente demanda por uma matriz de colágeno de volume estável que poderia ser usada para indicações como aumento de tecido mole ao redor dos implantes ou sob pônticos.

“Atualmente muitos desses tratamentos são realizados com tecido autólogo, que implica sempre a coleta e, por conseguinte, doador de morbidade local”, disse ele. “Queríamos oferecer um produto que regenera o tecido macio, conservando o volume e proporcionando excelentes propriedades mecânicas”.

Resultados promissores

De acordo com Hart, estudos in vitro envolvendo Fibro-Gide demonstraram quase complete degradação após cerca de seis semanas. Ensaios clínicos com maiores populações de pacientes clínicos e com vários preparativos estão atualmente em andamento.

“Estou convencido de que este é realmente um passo a frente na tecnologia, e tem um enorme potencial”, disse o vice-diretor científico Dr. Mark Spilker.

É mais um grande avanço no âmbito da odontologia que contribui com a recuperação da saúde bucal dos pacientes.

Dentalis software – em sintonia com as novas tendências em odontologia do século 21

Posted by Victor in Dicas, 0 comments
Bactérias da mucosa oral ligadas à Arteriosclerose

Bactérias da mucosa oral ligadas à Arteriosclerose

Já vários estudos tinham conseguido demonstrar que existe uma relação entre as bactérias orais e a prevalência de doenças cardíacas. Contudo, um estudo agora publicado pela Universidade do Connecticut, nos Estados Unidos da América, revela que as bactérias presentes na mucosa oral e no trato gastrointestinal podem ser uma das principais responsáveis pela arteriosclerose.

Como explicam os autores do estudo, “os lípidos desse grupo de bactérias danificam os vasos sanguíneos de duas formas: o sistema imune as vê como um sinal de invasão bacteriana e as enzimas as destroem causando um processo inflamatório”.

O risco

Os pesquisadores informam também que “essas bactérias não são uma espécie invasora, uma vez que habitualmente estão presentes na cavidade oral e no trato gastrointestinal. Se as condições forem as adequadas, podem causar doenças gengivais, mas não infectam os vasos sanguíneos. Contudo, os lípidos que produzem podem facilmente passar através das paredes celulares e entrar na corrente sanguínea”.

Mais detalhes sobre o estudo podem ser obtidos aqui.

Posted by Victor in Estudos, 0 comments
Estudo liga uso prolongado de Omeprazol à risco de câncer de estômago

Estudo liga uso prolongado de Omeprazol à risco de câncer de estômago

Um estudo da Universidade de Hong Kong e da University College London mostrou que o uso prolongado de inibidores de bomba de próton (IBP), como Omeprazol e Pantoprazol, podem aumentar 2,4 vezes o risco de desenvolver câncer de estômago. Os IBPs reduzem a quantidade de ácido produzido pelo estômago e são usados para tratamento de refluxo ácido e úlceras estomacais. A pesquisa foi publicada no jornal científico Gut na última terça-feira, 31, e considerou uma base de dados de saúde em todo o território de Hong Kong.

A ligação entre o uso desses medicamentos com o risco de desenvolver câncer de estômago já havia sido identificada pelos acadêmicos, mas ainda não havia sido controlada a presença da bactéria a Helicobacter pylori, mais conhecida como H pylori, suspeita de influenciar no desenvolvimento da doença. Depois de eliminar a bactéria, descobriu-se que o risco de desenvolver a doença ainda estava relacionado com a dose e a duração do tratamento com medicamentos IBP.

O Estudo

Para o estudo, os pesquisadores recrutaram 63.397 pessoas e compararam o uso de IBP com outro medicamento, conhecido como H2, que também limita a produção de ácido no estômago. Os participantes foram tratados com terapia tripla, que combina IBP e antibióticos para matar a bactéria H pylori, entre 2003 e 2012. Os cientistas monitoraram todos até que desenvolvessem câncer de estômago, morressem ou chegassem ao final do estudo, em 2015.

Durante esse período, 3.271 pessoas receberam IBP por quase três anos enquanto 21.729 tomaram H2. Entre os selecionados para o estudo, 153 desenvolveram câncer de estômago durante o acompanhamento médio de 7,6 anos. Nenhum deles testou positivo para H pylori, mas todos tiveram problemas de longo prazo com inflamação estomacal. Quem consumiu IBPs teve um risco de 2,4 vezes maior de desenvolver câncer do que quem usou medicamentos H2, que não foram associados a um aumento do risco da doença.

Chance de desenvolvimento de câncer

A chance de desenvolver esse tipo de câncer cresce de acordo com o tempo de ingestão do medicamento. O uso diário de IBP aumenta 4,55 vezes o risco de desenvolvê-la se comparado com aqueles que fazem uso semanal. Da mesma forma, se a pessoa tomar o medicamento por mais de um ano, o risco de câncer de estômago aumenta cinco vezes e pode chegar oito vezes após três anos ou mais de consumo.

O estudo, porém, concluiu que não é possível estabelecer uma relação de causa e efeito, mas recomendou aos médicos “ter cautela quando prescrevem IBP de longo prazo, mesmo após a erradicação da H plyori”, disse ao jornal The Guardian Stephen Evans, professor de farmacoepidemiologia da London School of Hygiene and Tropical Medicine.

“Muitos estudos observacionais encontraram efeitos adversos associados aos IBPs. A explicação mais plausível para a totalidade da evidência nesse estudo é que aqueles que recebem IBPs, especialmente aqueles que continuam a longo prazo, tendem a ficar mais doentes de várias maneiras do que aqueles para quem os remédios não foram prescritos”, disse.

Dentalis software – em sintonia com as novas tendências em odontologia do século 21

Posted by Victor in Estudos, 0 comments
Café tende a aumentar o desejo por doces

Café tende a aumentar o desejo por doces

A cafeína tem o poder de fazer as pessoas se sentirem mais despertas, mas de acordo com uma pesquisa recente pode também diminuir a capacidade de sentirmos o doce dos alimentos e, consequentemente, aumentar assim a vontade de consumir alimentos açucarados.

A conclusão consta de um estudo realizado na Universidade de Cornell, nos Estados Unidos da América, que relata que “quando bebemos café cafeinado isso muda a forma como percebemos o sabor durante o tempo em que o efeito permanece. Por isso, se comermos logo depois de beber café cafeinado ou outras bebidas com cafeína iremos ter uma percepção do sabor de forma diferente.”

O estudo

Para chegar a esta conclusão os cientistas dividiram uma comjunto de pessoas em dois grupos: um dos grupos bebeu descafeinado com 200 gramas de cafeína adicionada em laboratório. O outro grupo ingeriu descafeinado com igual quantidade de quinina amarga. Ambos os grupos adicionaram açúcar à bebida e foram alternados, para que provassem também a outra bebida, e depois tiveram que a classificar.
A bebida com cafeína foi considerada a menos doce.

O consumo maior de doces tende a aumentar o risco de incidência de cáries, o que gera consequente impacto no âmbito da odontologia e dos atendimentos odontológicos.

Detalhes adicionais sobre o referido estudo podem ser obtidos aqui

Posted by Victor in Estudos, 0 comments
NOA: dispositivo novo que trata a apneia do sono

NOA: dispositivo novo que trata a apneia do sono

Dois anos de pesquisa da OrthoApnea e do Departamento de Engenharia Mecânica, Térmica e Fluidos da Universidade de Málaga culminaram num dispositivo que promete tratar a apneia do sono, o chamado NOA.

De acordo com estimativas da Sociedade Mundial do Sono, a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono afeta cerca de 100 milhões de pessoas em todo o mundo, interferindo com o descanso noturno e originando diversas complicações na saúde dos pacientes afetados.

Para resolver este problema, a OrthoApnea e um conjunto de pesquisadores do Departamento de Engenharia Mecânica, Térmica e de Fluidos da Universidade de Málaga desenvolveram um dispositivo projetado que pretende revolucionar a forma como se trata a apneia do sono.

Sem metais, maior conforto

Em comunicado, a empresa do grupo Ortoplus explica que “fabricado com materiais inteiramente biocompatíveis para uso oral, foi possível eliminar completamente o metal da sua estrutura, alongar notavelmente sua durabilidade e melhorar o seu conforto.”

“Para os pacientes, o NOA, não só é um dispositivo mais ergonómico, menos invasivo, com menor dimensão vertical e maior espaço lingual. O NOA também é o único dispositivo com um desenho inteiramente personalizado de acordo com as características mandibulares e craniofaciais de cada paciente”, informa a empresa.

Impressora 3D

Ana Fernández, diretora do Departamento de I + D + i da OrthoApnea, diz ainda que “tendo as medidas exatas da pessoa que realiza uma análise de movimento da mandíbula e, com um estudo biométrico da arcada dentária, conseguimos criar um dispositivo perfeitamente adaptado à morfologia oral de cada paciente. O NOA obtido através da impressora 3D é muito mais preciso, personalizável e de maior qualidade do que os dispositivos com os quais se trabalhava até hoje”.

Este é mais um avanço importante no âmbito da Odontologia que irá possibilitar a muitos pacientes uma melhor qualidade de sono, e também de vida por extensão.

Dentalis software – a escolha certa em software para odontologia

Posted by Victor in Dicas, 0 comments
Dentistas criam método inovador para obtenção de células-tronco

Dentistas criam método inovador para obtenção de células-tronco

Um grupo de pesquisadores conseguiu desenvolver um método que permite quadruplicar o número de células-tronco extraídas a partir da polpa da raiz do dente. O objetivo, de acordo com os dentistas responsáveis pela pesquisa, é encontrar uma solução para o tradamento de várias patologias.

De acordo com a comunidade científica, as células-tronco oferecem uma nova esperança no tratamento de várias doenças, uma vez que são mais eficazes no tratamento de várias patologias crônicas e terminais.

Terceiros molares

Os pesquisadores da Universidade de Nevada, nos Estados Unidos, que agora criaram um novo método de extração de células-tronco a partir da polpa da raiz do dente, defendem que a grande dificuldade está ligada à dificuldade de obtenção de células-tronco em quantidade suficiente para que sejam utilizadas em condições adequadas. Nesse sentido, descobriram que os terceiros molares podem ser uma fonte abundante deste tipo importante de células.

Karl Kingsley, um dos responsáveis pelo estudo, comenta que “cada vez mais adultos removem o dente do siso. Extrair dentes é relativamente comum em pacientes que realizam tratamentos ortodônticos. E a maioria destes dentes são saudáveis e contêm polpa da raiz do dente viável que oferece condições para reprodução de células que tenham sido danificadas ou destruídas por doenças”.

Para aproveitar esta oportunidade, os cientistas daquela universidade criaram um método que faz a cisão do dente ao meio com uma taxa de sucesso de 100% de sucesso, permitindo o acesso e extração das células-tronco.

Mais detalhes a respeito deste trabalho podem ser obtidos aqui.

Dentalis software – em sintonia com as novas tendências em odontologia do século 21

Posted by Victor in Estudos, 0 comments
Brushlink: um upgrade na escovação dental

Brushlink: um upgrade na escovação dental

Chama-se Brushlink e, de acordo com os seus desenvolvedores, tem a capacidade de tornar qualquer escova dental inteligente, monitorando o comportamento dos pacientes durante a escovação dos dentes – frequência, duração e ângulo da escovação.

E não se engane quem pense que este dispositivo só pode ser utilizado em escovas dentais elétricas. De acordo com os responsáveis pelo produto, as escovas manuais também podem utilizar o dispositivo, que depois de cada escovação envia uma espécie de relatório para o smartphone do usuário sobre a escovação – determinando uma nota para a qualidade da escovação, além de muitas recomendações sobre como se pode otimizar todo o processo.

Criado por Dentistas

A ideia é de um grupo de dentistas que perceberam que um dispositivo como este poderia ser útil para se conhecer mais sobre o comportamento dos seus pacientes e, assim, oferecer um melhor tratamento através de uma escovação dental mais eficiente.

Mais detalhes sobre este novo dispositivo pode ser visualizado no vídeo a seguir:

Posted by Victor in Dicas, 0 comments
Aberto caminho para detecção de crianças com alto potencial para cáries

Aberto caminho para detecção de crianças com alto potencial para cáries

Pesquisadores da Universidade de Umeå, na Suécia, fizeram uma nova descoberta conectando tipos altamente virulentos da bactéria da cárie Streptococcus mutans e sua função de aderência para crianças com cáries desenfreadas e aumento do risco de cárie dentária. Segundo os pesquisadores, os resultados podem conduzir a uma melhor maneira de identificar pacientes de alto risco e melhorar o tratamento.

Para os cinco anos do estudo, a saliva de 390 crianças com 12 anos de idade no começo foi analisada e sua saúde dentária monitorada. Após a análise das amostras de saliva e estirpes bacterianas isoladas, as crianças foram divididas em vários grupos de risco com base no tipo genético da bactéria da cárie dentária que possuíam. Depois de cinco anos de acompanhamento, os pesquisadores puderam ver como a cárie tinha se desenvolvido nos diversos grupos de risco.

Através de estudos bioquímicos, os pesquisadores encontraram uma ligação entre as proteínas adesivas SpaP B e Cnm e sua adesão a saliva e DMBT1, uma proteína da saliva. Eles também mostraram que a capacidade superior de ligação levou ao aumento de cárie ao longo dos cinco anos de estudo. Com base nos resultados, os pesquisadores estabeleceram que crianças de alto risco têm variantes mais virulentas de S. mutans, cuja função adesiva torna-os mais agressivos e mais sobreviventes.

“A cárie é um estilo de vida frequentemente causado pela comida e hábitos de higiene oral, que levam a um pH ácido na boca. O valor do pH tem um efeito prejudicial sobre o esmalte e ainda promove o crescimento de bactérias produtoras de ácido tais como Streptococcus mutans“, disse o Prof. Nicklas Strömberg, chefe do Departamento de Cariologia na universidade e principal autor do estudo.

Detecção precoce a partir de biomarcadores

“Este novo conhecimento dos tipos de bactérias identificadas e como iniciam a cárie pode ser usado para melhorar o atendimento odontológico individualizado. A presença das bactérias poderia ser utilizada como biomarcadores para detecção precoce de pacientes de alto risco. Além disso, a sua função adesiva pode constituir novos alvos para o tratamento”, disse Strömberg.

Segundo Strömberg, em um trabalho ainda a ser publicado, sua equipe descobriu que outras crianças de alto risco têm defeitos genéticos em seus receptores salivares para bactérias, e os genes afetados podem envolver os associados com doenças auto-imunes. No entanto, ele declarou: “Ainda é importante enfatizar que a cárie em muitos indivíduos de baixo a moderado risco ainda é modulada por comida e hábitos de higiene oral”.

O estudo, intitulado “Streptococcus mutans biótipos de adesina que correspondem e predizem o desenvolvimento de cárie individual”, foi publicado recentemente no EBioMedicine Journal.

Dentalis software – gerencia seu consultório e garante mais tempo para atenção ao seu paciente

Posted by Victor in Estudos, 0 comments
Revelado um segredo sobre a saliva e a cicatrização

Revelado um segredo sobre a saliva e a cicatrização

Um estudo recentemente divulgado revela que as feridas da mucosa oral cicatrizam mais rapidamente do que aquelas no restante do corpo. A conclusão é de um estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Odontologia da Universidade do Chile, que conseguiram demonstrar que a saliva humana possui propriedades cicatrizantes.

Para chegar a esta conclusão, os cientistas testaram uma substância chamada histatina-1, presente na saliva humana. Os resultados revelaram que esta molécula promove a angiogênese, que consiste no desenvolvimento de novos vasos sanguíneos num tecido vivo.

Desta forma, a histatina-1 presente na saliva humana aumenta a formação de vasos sanguíneos, favorecendo a cicatrização.

Diferentes velocidades de cicatrização

Os autores do estudo informam que “estas descobertas abrem a porta para o melhor entendimento da biologia subjacente às diferenças entre a cicatrização na mucosa oral e a cicatrização na pele”. Além disso “lançam uma luz para explicar o motivo pelo qual os animais, e até as crianças, lambem as suas feridas”.

Esta é mais uma importante descoberta que poderá trazer avanços no âmbito da odontologia.

Dentalis software – gerencia seu consultório e garante mais tempo para atenção ao seu paciente

Posted by Victor in Estudos, 0 comments