Esquecimento: como diferenciar o normal do patológico

Seu paciente vive se queixando de esquecimentos?

Esquecimentos pontuais, dificuldade para lembrar uma palavra e demora ao contar uma história podem ser sinais comuns de estresse ou mesmo falta de atenção. Porém, são também alguns dos sintomas iniciais do mal de Alzheimer, doença que pode começar a se manifestar muitos anos antes do diagnóstico.

A dificuldade em diferenciar os lapsos de memória comuns daqueles que indicam a condição pode gerar tanto preocupação em quem está saudável quanto demora no diagnóstico precoce de quem não está.

A geriatra Margarida Tutungi, do Hospital Placi (Niterói-RJ), explica que um dos principais desafios no diagnóstico do Alzheimer é vencer o estigma de que o idoso está ficando “caduco” e que esquecimento, alteração do humor e raciocínio são coisas normais da idade.

Quanto mais cedo o Alzheimer for identificado, mais precocemente será iniciado o tratamento medicamentoso e terapêutico. “Como resultado, é esperado que o paciente consiga usar a capacidade intelectual que ele ainda tem de maneira mais efetiva para compensar as perdas que já ocorreram”, explica a especialista.

Esquecer fatos

A geriatra conta que o esquecimento característico do Alzheimer é uma perda de memória recente. “Muitas vezes a pessoa conta coisas do passado com todos os detalhes, mas não consegue lembrar o que comeu no almoço ou de um evento que foi há pouco tempo”, explica.

Por outro lado, um esquecimento normal seria, por exemplo, lembrar-se de um evento que aconteceu, mas não de todas as pessoas com quem você falou ou tudo que você comeu.

Esquecer palavras

É comum que, uma vez ou outra, surja uma dificuldade em nomear certas palavras. Mas caso isso esteja acontecendo com frequência, pode ser um sinal de alerta para o Alzheimer.

Esquecer onde guardou alguma coisa

A geriatra explica que é comum que a pessoa com Alzheimer esqueça-se, por exemplo, onde guardou um objeto e acredite que alguém o escondeu. Isso acontece porque ela simplesmente não tem qualquer recordação do ato. Ao contrário, uma pessoa sem a doença irá lembrar que o pegou, mas não onde o deixou e conseguirá, através de um raciocínio lógico, memorar onde ele está.

Mudança de humor

Qualquer pessoa pode estar mais quieta em um dia e extrovertida no outro, isso é normal. Mas quando a agressividade ou a apatia, comuns em pacientes com Alzheimer, persiste por mais tempo, o mais indicado é ir ao médico. Pode ser um sinal da doença, um quadro de depressão ou mesmo estar relacionado a outro problema de saúde, só o médico poderá dizer.

Não conseguir tomar decisões

À medida que a pessoa com Alzheimer perde pouco a pouco o domínio sobre a linguagem e sua habilidade de raciocínio fica comprometida, como consequência, ficará difícil tomar decisões. Isso pode ocorrer ao fazer coisas mais simples, como escolher uma roupa, ou mais complexas. Não confunda com estafa, consequência do estresse que leva a um esgotamento.

Não conseguir manter uma conversa

É normal estar eventualmente distraído e não conseguir manter o foco em uma conversa. Mas isso é diferente de não conseguir, com frequência, manter um raciocínio lógico durante um diálogo.​

Deixe uma resposta