Uma prole maior pode estar relacionada à maior perda de dentes das mães

Em um novo estudo da Europa, os pesquisadores descobriram que ter uma família maior pode estar relacionado à maior perda de dente em mães – sugerindo o velho provérbio “ganhar um filho, perder um dente” pode ter de fato algum fundamento.

Segundo os pesquisadores, não houve evidências sólidas para provar a idéia de que famílias maiores levam à perda de dente em mães. Para pesquisar isso, basearam-se em dados da Wave 5 of the Survey of Health, Ageing and Retirement in Europe (SHARE). A SHARE contém informações sobre a saúde, a obtenção da educação e a renda familiar de mais de 120.000 adultos de 50 anos de idade e mais, de 27 países europeus e Israel. A Wave 5 foi concluída em 2013 e incluiu perguntas sobre a história reprodutiva e número de dentes naturais de 34.843 entrevistados, com idade média de 67 anos.

Olhando para o potencial impacto de ter gêmeos ou trigêmeos em vez de filho único, os pesquisadores também levaram em conta o sexo dos dois primeiros filhos, partindo do pressuposto de que, se os dois primeiros fossem do mesmo sexo, os pais poderiam estar tentados a tentar um terceiro filho. Para analisar os dados, eles aplicaram uma técnica estatística que explora uma variação natural randômica em uma variável que apenas está associada com a exposição e afeta o resultado somente através dessa exposição que, essencialmente simulando um ensaio controlado e randomizado.

Saúde bucal das mães

De acordo com os resultados, as mulheres com três filhos tiveram uma média de quatro dentes a menos do que as mulheres com dois filhos, sugerindo que a adição de uma terceira criança pode muito bem ser prejudicial para a saúde bucal das mães. Em uma nota potencialmente controversa, os dados do estudo indicaram não haver efeito direto para a saúde bucal dos pais, no caso de um terceiro filho. No entanto, a perda de dente também aumentou com a idade, variando em cerca de sete dentes a menos para mulheres entre 50 e 60 anos e até menos 19 dentes para homens com idade de 80 anos e acima. Níveis mais altos de escolaridade também foram associados a menor risco de perda de dente entre as mulheres.

Comentando os resultados, os pesquisadores sugeriram promoção elevada da higiene bucal, nutrição amigável para os dentes e assistência odontológica preventiva regular, especificamente dirigida a futuras mães, seriam estratégias sensatas para os clínicos e os formuladores de políticas de saúde.

O estudo, intitulado “Ganhar um filho, perder um dente? Utilizando experimentos naturais para distinguir entre fato e ficção”, foi publicado online em 13 de março no Journal of Epidemiology and Community Health.​

Dentalis software – garante mais tempo pra você e seus pacientes

Deixe uma resposta