Bebidas açucaradas e o risco de doenças cardiovasculares em mulheres

bebidas açucaradas

Um estudo recente verificou que o consumo regular de bebidas açucaradas pode elevar o risco de doenças cardiovasculares em mulheres.

Essa pesquisa foi realizada na Universidade da Califórnia em San Diego.
Foram analisadas mais de 106.000 mulheres com idade média de 52 anos. Todas estavam livres de doenças cardíacas, derrames e diabetes quando se inscreveram no estudo.

Ingestão de bebidas açucaradas por mulheres – o estudo

As mulheres foram solicitadas a informar sobre o que e quantas bebidas açucaradas consumiam por dia.
Foram consideradas bebidas açucaradas refrigerantes calóricos, águas ou chás adoçados, mas não 100% dos sucos de frutas.
Os pesquisadores usaram registros hospitalares para determinar quem sofreu um ataque cardíaco, derrame ou cirurgia cardiovascular.

As participantes que ingeriram a maior quantidade de bebidas açucaradas eram mais jovens, mais propensas a serem fumantes e também obesas e menos propensas ao consumo de alimentos saudáveis.

Observou-se também que ingerir uma ou mais bebidas açucaradas todos os dias estava associado a um risco quase 20% maior para doenças cardiovasculares. E também um risco 21% maior para derrames (AVC). Além disso um risco 26% maior de obstrução de artérias ou veias.
Isso em comparação com mulheres que não tinham por hábito consumir bebidas açucaradas.

Bebidas açucaradas consumidas diariamente e os riscos cardiovasculares

O consumo diário de bebidas açucaradas de frutas elevou em 42% a probabilidade da ocorrência de doenças cardiovasculares. Isso em comparação com mulheres que nunca ou raramente ingeriam bebidas açucaradas.

Já a ingestão de refrigerantes apresentou um risco 23% maior para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Isso igualmente em comparação com mulheres que nunca ou raramente ingeriam bebidas açucaradas.

É um estudo observacional. Porém, sabe-se que o açúcar aumenta a predisposição a doenças cardiovasculares.
O açúcar eleva os níveis de glicose e as concentrações de insulina no sangue.
Por consequência, pode aumentar o apetite e levar à obesidade. E a obesidade é um importante fator de risco para doenças cardiovasculares.

O excesso de açúcar no sangue está associado ao estresse oxidativo e à inflamação, resistência à insulina, perfis não saudáveis de colesterol e diabetes tipo 2.
Todas são condições fortemente ligadas ao desenvolvimento da aterosclerose, o estreitamento lento das artérias subjacentes à maioria das doenças cardiovasculares.

Recomendação: limites máximos de consumo de açúcar

A American Heart Association recomenda os seguintes os seguintes limites diários máximos de consumo de açúcar:

Mulheres: 100 calorias por dia (6 colheres de chá de açúcar ou 25 gramas);
Homens: 150 calorias por dia (9 colheres de chá de açúcar ou 38 gramas).

Para contextualizar, uma lata comum de refrigerante comum de 60 ml tem 130 calorias e 8 colheres de chá (34 gramas) de açúcar.

Bebidas com açũcar adicionado são também um perigo para os dentes.

É consenso entre os especialistas que a água é a bebida mais saudável para beber regularmente.
Afinal, água não tem açúcar, adoçantes artificiais e calorias.

Fontes: News, Newsroom

Deixe uma resposta