Cigarros eletrônicos e os neurônios: uma perigosa relação

cigarros eletrônicos e os neurônios

Cigarros eletrônicos e os neurônios pode parecer uma relação sem sentido. Mas vamos ver que não é bem assim.

Cigarros eletrônicos são alardeados como substitutos seguros dos cigarros convencionais.
Também é difundida a informação de que os cigarros eletrônicos seriam como uma etapa de transição para quem está querendo parar de fumar.
No entanto, existem estudos demonstrando os malefícios dos cigarros eletrônicos sobre a saúde bucal.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Riverside, fizeram uma descoberta preocupante.
Descobriram que cigarros eletrônicos e os neurônios tem uma relação bem estreita. Esses dispositivos eletrônicos podem causar danos às células-tronco do cérebro.

cigarros eletrônicos e os neurônios

O que são células-tronco

Células tronco são células geradoras de novas células. Quando células tronco dividem elas podem fazer mais de si mesmas ou mais de outros tipos de células.
Por exemplo, células tronco na pele fazem mais células tronco de pele ou elas podem fazer células de pele diferenciadas que possuem funções próprias como produzir o pigmento melanina.

Células-tronco adultas e células-tronco embrionárias

Cada órgão do nosso corpo possui uma quantidade de células-tronco que é responsável pela renovação das nossas células ao longo da vida. Estas células constituem uma “reserva” celular do organismo após o nascimento. Geralmente, as células-tronco adultas dão origem às células dos tecidos de onde são provenientes, por predeterminação genética.

As células-tronco embrionárias têm a capacidade de se transformar em qualquer tipo de célula adulta. São chamadas de pluripotentes. São encontradas no interior do embrião, no estágio de blastocisto.

Cigarros eletrônicos e os neurônios: efeitos sobre as células-tronco do cérebro

As células-tronco neurais são essenciais à formação de muitas estruturas cerebrais. São elas as responsáveis pela formação de novas memórias e aprendizagem.

Os cigarros eletrônicos são dispositivos de fornecimento de nicotina. Eles transformam a nicotina em aerossol e dão sabor aos produtos químicos (essências) por meio do aquecimento.
Os pesquisadores ainda não compreendem totalmente como as substâncias químicas dos cigarros eletrônicos podem afetar as células-tronco neurais. Em particular suas mitocôndrias. As mitocôndrias são organelas que atuam como usinas geradoras de energia das células. São fundamentais na regulação e manutenção da saúde celular.

cigarros eletrônicos e os neurônios

A pesquisa

A pesquisa buscou evidenciar que os cigarros eletrônicos e os neurônios tem um elemento que os conecta intimamente:  a nicotina.

Os pesquisadores utilizaram células-tronco neurais de camundongo cultivadas. Identificaram assim um efeito nocivo dos cigarros eletrônicos sobre as mitocôndrias. A esse efeito deram o nome “hiperfusão mitocondrial induzida por estresse“.
Mesmo uma exposição a curto prazo pode estressar as células de uma maneira que pode levar, com o uso crônico, à morte ou doença celular.
Uma das cientistas afirmou “as nossas observações aplicam-se muito provavelmente a qualquer produto que contenha nicotina.”

Os altos níveis de nicotina nos cigarros eletrônicos levam a uma inundação de nicotina de receptores especiais na membrana das células-tronco neurais. A nicotina se liga a esses receptores, o que faz com que eles se abram. Cálcio e outros íons começam a entrar na célula. Eventualmente, uma sobrecarga de cálcio acontece.

Muito cálcio na mitocôndria é prejudicial. As mitocôndrias então incham, mudando sua morfologia e função. Elas podem até romper e vazar moléculas que levam à morte celular.

Se o estresse causado pela nicotina persistir, aí pode surgir o dano.
As células-tronco neurais podem ser danificadas. E também podem eventualmente morrer.

As consequências

As mitocôndrias de células-tronco danificadas poderiam acelerar o envelhecimento e levar a doenças neurodegenerativas. Células-tronco neurais podem ficar expostas à nicotina através da via olfativa.
Os usuários inalam a fumaça, que pode percorrer os rastros olfativos para chegar ao cérebro.

Os pesquisadores alertaram que os jovens e as mulheres grávidas precisam prestar especial atenção aos resultados dessa pesquisa.

Riscos ainda maiores para gestantes e adolescentes

A exposição à nicotina durante o desenvolvimento pré-natal ou adolescente pode afetar o cérebro de várias maneiras. A nicotina pode prejudicar a memória, a aprendizagem e a cognição. Além disso, o vício e a dependência da nicotina na juventude são preocupações urgentes. O efeito deletério da nicotina sobre as células-tronco neurais e suas mitocôndrias é preocupante.
Deve-se ter muita atenção a essa descoberta recente. Afinal, a nicotina se encontra amplamente disponível em cigarros eletrônicos e seus fluidos de recarga.

Cigarros eletrônicos no Brasil

Desde 2009 a Anvisa proíbe a comercialização, a importação e a propaganda dos chamados cigarros eletrônicos.
Embora proibida, a venda de cigarros eletrônicos acontece amplamente via Internet. Também são facilmente encontrados na área comercial do centro de São Paulo.
A mesma Anvisa, no entanto, acaba de colocar em discussão pública a regulamentação dos cigarros eletrônicos em nosso país

Os cigarros eletrônicos fazem muito sucesso entre os adolescentes norte-americanos. Eles são feitos para seduzir os jovens. Suas essências contém sabores atraentes. Contém aditivos químicos com gosto de chocolate, morango, crème brûlée e outros sabores agradáveis aos jovens. Além disso eles se apresentam como formatos de pen drives que soam atraentes aos jovens.

Ver o cigarro eletrônico regulamentado para uso no Brasil é o grande risco que corremos.

Fontes: ScienceDaily, Criovida, ipscell, Rede Nacional de Terapia Celular, G1, Folha

Deixe uma resposta