Ciprofloxacino: Alerta em relação aos riscos associados a esse antibiótico

O uso de ciprofloxacina e outros antibióticos da classe das fluoroquinolonas tem sido associado à interrupção das funções normais do tecido conjuntivo, incluindo ruptura dos tendões, tendinite e descolamento de retina.

Estas observações, relatadas em vários periódicos médicos e científicos, fizeram com que esses medicamentos passassem a conter uma tarja preta em alguns países, alertando os médicos e os pacientes sobre os possíveis efeitos colaterais danosos.

Esses estudos também indicavam que outros tipos de tecidos conjuntivos poderiam estar envolvidos nos efeitos colaterais deste antibiótico.

De fato, agora pesquisadores descobriram que a ciprofloxacina aumenta o risco de ruptura na artéria principal do corpo, a aorta.

“Um tecido natural para se preocupar é a aorta, um vaso sanguíneo que depende fortemente de ter um componente de tecido conjuntivo sólido – chamado de matriz extracelular – para manter sua integridade,” disse o Dr. Scott LeMaire, da Faculdade de Medicina Baylor (EUA).

Percepção incorreta de que antibióticos não fazem mal atinge médicos e pacientes

Danos à aorta e aneurisma

Devido à suspeita levantada pelos estudos anteriores, dois estudos clínicos analisaram a possível associação entre as fluoroquinolonas e problemas cardiovasculares.

“Eles descobriram que pacientes que receberam fluoroquinolonas tiveram um risco maior de aneurismas (formação de áreas semelhantes a balões na aorta que enfraquecem a integridade do vaso), rupturas ou dissecções (lágrimas na parede) do que pacientes que não receberam os antibióticos. Isso levantou preocupações importantes,” disse LeMaire.

Embora os estudos clínicos retrospectivos apontem para uma associação entre os antibióticos fluoroquinolonas e o aumento do risco de doenças da aorta, eles não provavam que os antibióticos causavam os problemas. Para determinar se existe uma associação de causa e efeito, LeMaire e seus colegas trabalharam com um modelo animal que imita os aneurismas e dissecções da aorta humana.

“Nosso estudo sugere que, neste modelo de aortas de camundongos moderadamente estressados, a exposição à ciprofloxacina resulta em uma progressão mais rápida e mais severa da doença, o que é exatamente a preocupação.

“Nossos resultados apoiam as preocupações levantadas por estudos clínicos retrospectivos anteriores e sugerem que a ciprofloxacina e outros antibióticos da mesma classe devem ser usados com cautela em pacientes com dilatação da aorta,” disse a Dra Ying Shen, coautora do estudo.

“Se considerarmos os dados clínicos e nossos resultados experimentais, que provam a ​causa em um modelo confiável de dissecção da aorta, acredito que temos evidências suficientes para mudar as diretrizes sobre o uso de antibióticos fluoroquinolonas para pessoas que têm um aneurisma ou estão em risco de contrair um aneurisma. Estou esperançoso de que essas diretrizes possam ser mudadas em pouco tempo,” finalizou LeMaire.

Dentalis software – a escolha certa em software para odontologia

Deixe uma resposta