Colar de dentição para crianças: Não é recomendável

O chamado colar de dentição é um acessório que supostamente teria propriedades analgésicas, mas a agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos não recomenda seu uso por questões de segurança

O FDA alertou pais, cuidadores e profissionais de saúde sobre os riscos de segurança que os colares de dentição usados para aliviar a dor da dentição representam para as crianças.

A agência alertou que eles não devem ser usados para aliviar dores nas crianças ou para fornecer estímulo sensorial a pessoas com necessidades especiais, como autismo ou transtorno de deficit de atenção / hiperatividade (TDAH). O FDA recebeu relatos de morte e ferimentos graves em bebês e crianças, incluindo estrangulamento e asfixia, causados pelos colares de dentição.

Várias formas

Os colares para dentição podem ter várias formas, incluindo um colar, pulseira ou tornozeleira, e podem ser usadas tanto por um adulto quanto por uma criança. Tais produtos são produzidos e vendidos por um grande número de fabricantes e indivíduos. Eles são frequentemente usados pelos pais e cuidadores para aliviar a dor da criança e outras doenças. As jóias para dentição também podem ser usadas por pessoas com necessidades especiais, como autismo ou TDAH, para fornecer estimulação sensorial ou redirecionar a mastigação de roupas ou partes do corpo. Os colares de dentição podem ser feitos a partir de vários materiais, como âmbar, madeira, mármore ou silicone.

“Sabemos que os colares de dentição têm se tornado cada vez mais populares entre pais e cuidadores que desejam proporcionar alívio para a dor da dentição infantil e estimulação sensorial para crianças com necessidades especiais. Estamos preocupados com os riscos que observamos com esses produtos e queremos que os pais saibam que a dentição coloca crianças, incluindo aquelas com necessidades especiais, em risco de ferimentos graves e morte ”, disse o comissário da FDA Scott Gottlieb, MD.

Os riscos

Os riscos do uso de colares para aliviar a dor da dentição incluem asfixia, estrangulamento, lesões na boca e infecção. A asfixia pode acontecer se o colar se romper e uma pequena conta entrar na garganta ou na via aérea da criança. O estrangulamento pode ocorrer se um colar estiver muito apertado em volta do pescoço da criança ou se o colar pegar um objeto como um berço, por exemplo.

Ácido succínico

Outras preocupações incluem lesão na boca ou infecção se uma peça do colar irritar ou perfurar as gengivas da criança. Além das preocupações com asfixia e estrangulamento, os colares de dentição contêm uma substância chamada ácido succínico, que supostamente pode ser liberada na corrente sanguínea de um bebê em quantidades desconhecidas. Os fabricantes desses produtos geralmente alegam que o ácido succínico atua como um anti-inflamatório e alivia a dentição e a dor nas articulações. A FDA não avaliou essas alegações de segurança ou eficácia e recomenda que os pais não usem esses produtos

O FDA emitiu uma comunicação de segurança recentemente depois de receber um certo número de relatórios de ocorrências médicas, incluindo uma morte. Um relato envolveu uma criança de 7 meses que engasgou com as contas de uma pulseira de dentição de madeira enquanto estava sob supervisão dos pais e foi levada para o hospital, e outra envolveu uma criança de 18 meses que foi estrangulada até a morte por seu colar de dentição durante um cochilo.

Risco de metemoglobinemia

Além de evitar o uso de colares para aliviar a dor da dentição, o FDA continua a recomendar que os profissionais de saúde evitem usar cremes para dentição, géis de benzocaína, sprays, pomadas, soluções e pastilhas para dor na boca e gengiva. Benzocaína e outros anestésicos locais podem causar metemoglobinemia, uma condição séria na qual a quantidade de oxigênio transportada pelo sangue é reduzida. Esta condição é fatal e pode resultar em morte.

Monitoramento contínuo

O FDA assegura que irá continuar a monitorar de perto os relatórios de eventos adversos associados a colares usados para aliviar a dor da dentição e se comunicará mais conforme necessário. A agência encoraja os consumidores e profissionais de saúde a relatar lesões ou eventos adversos que ocorram com o uso desses colares através do programa de Informações de Segurança da FDA e Relatório de Eventos Adversos.

O FDA é uma agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, que tem como missão proteger a saúde pública garantindo a segurança, a eficácia e a segurança de medicamentos para uso humano e veterinário, vacinas e outros produtos biológicos para uso humano e dispositivos médicos. A agência também é responsável pela segurança e proteção do suprimento alimentar de cosméticos, suplementos alimentares, produtos que emitem radiação eletrônica e a regulação de produtos derivados do tabaco.

Como tratar a dor de dente dos bebês

Deve-se considerar seguir as recomendações da American Academy of Pediatrics de formas alternativas para o tratamento da dor na dentição, como massagear as gengivas inflamadas com um dedo limpo ou oferecer um mordedor de gel líquido.
O mordedor deve ser dado para a criança mastigar após ser refrigerado na geladeira. Em último caso, quando a inflamação impede a criança de se alimentar ou dormir, é possível recorrer aos analgésicos orais.

Cabe salientar que nem sempre a dor de dente é a culpada pelo incômodo do bebê em se alimentar ou dormir. Às vezes o motivo é outro, e nesse caso, é recomendável a consulta a um pediatra ou odontopediatra.

Fonte: FDA

Deixe uma resposta