Crianças com deficiências necessitam de mais cuidados dentários

criança em atendimentoUm grupo de pesquisadores espanhóis realizou um estudo sobre a saúde oral em crianças com paralisia cerebral ou síndrome de Down e defende que é preciso reforçar e melhorar os tratamentos dentários deste tipo de pacientes. Esses cientistas acreditam que para isso é necessário os profissionais de Odontologia estejam atualizados com esses conhecimentos para que consigam responder de melhor forma às necessidades destes pacientes, que frequentemente têm uma maior incidência de cáries dentárias e problemas gengivais.

Os pesquisadores realizaram uma revisão da literatura médica e compararam a saúde oral de crianças com paralisia cerebral e síndrome de Down com a saúde oral de crianças de um grupo controle.

Apesar de não haver consenso no que diz respeito à higiene oral, à saúde gengival e à incidência de cáries dentárias em crianças com deficiências, e pacientes com deficiências físicas ou psíquicas, a maioria apresentava uma maior prevalência de patologias orais em todos os estudos revistos pelos pesquisadores.

O que o estudo revela

Além disso, o estudo revela que as crianças com paralisia cerebral têm mais probabilidades de ter cáries dentárias em comparação com crianças sem qualquer tipo de deficiência. As crianças com síndrome de Down, por sua vez, não têm uma taxa de cáries dentárias mais elevada em relação ao grupo controle, mas os seus hábitos dentários, como o bruxismo, eram mais elevados do que nos grupos controle.

O estudo indica ainda que crianças com síndrome de Down apresentam mais frequentemente atrasos no desenvolvimento da sua dentição definitiva e que o trauma dentário é igualmente mais frequente em crianças com paralisia cerebral.

Deixe uma resposta