Descoberta promissora: material capaz de regenerar esmalte dentário

Um grupo de pesquisadores da Universidade Queen Mary, de Londres, desenvolveu uma nova metodologia para o desenvolvimento de materiais mineralizados que podem regenerar tecidos duros, como o esmalte dentário.

Como todos sabem, o esmalte dentário é o tecido que faz com que os dentes funcionem durante grande parte da nossa vida apesar de estarem expostos a alimentos ácidos e temperaturas extremas. Contudo, uma vez perdido não se pode regenerar, o que pode causar dor dentária e em casos mais extremos a perda do dente.

Prevenção de cáries e sensibilidade dental

O estudo agora publicado na revista científica Nature revela uma nova abordagem para criação de materiais com maior precisão e para que estes se comportem como o esmalte dentário. Além disso, de acordo com os cientistas, estes materiais podem ser usados para tratar várias complicações dentárias, especialmente na prevenção das cáries e também da sensibilidade dental.

Alvaro Mata, pesquisadores que liderou este trabalho, explica que “um dos objetivos principais da ciência dos materiais é conhecer todo o processo de criação e desenvolvimento de materiais úteis (…) A grande descoberta foi a possibilidade de utilizar-se de proteínas desordenadas para controlar e guiar o processo de mineralização em múltiplas escalas. Através disto, desenvolvemos uma técnica para fazer crescer de forma fácil materiais sintéticos que simulem a arquitetura hierárquica e organizada de grandes áreas”.

Detalhes adicionais sobre essa descoberta podem ser obtidos aqui.

Dentalis software – em sintonia com as novas tendências em odontologia do século 21

Deixe uma resposta