Doenças gengivais aumentam prevalência de Alzheimer em até 70%

Não é a primeira vez que as doenças periodontais são associadas à doença de Alzheimer, sugerindo que podem acelerar o declínio cognitivo dos pacientes com a doença. Mas um estudo recentemente publicado vai um pouco mais além e mostra que as doenças gengivais podem aumentar a probabilidade do desenvolvimento da doença de Alzheimer em cerca de 70% em pacientes que sofrem deste patologia oral por mais de 10 anos.

O estudo publicado na revista científica Alzheimer’s Research & Therapy contou com uma amostragem de 25 mil pessoas e buscou verificar pessoas com 50 ou mais anos de idade com periodontite crônica tinham ou não um maior risco para o desenvolver Alzheimer.

Forte evidência

Apesar de não terem conseguido determinar uma ligação direta entre as duas patologias, os investigadores descobriram que as pessoas que sofrem de doenças gengivais há dez ou mais anos têm 70% maior probabilidade para o desenvolver do Alzheimer.

Esta não é a primeira vez que as doenças gengivais se apresentam associadas a outras patologias. Existem evidências de que este tipo de patologia oral pode aumentar a prevalência de doenças como aquelas cardíacas, artrite reumatoide e até patologias que acometem a próstata.

Deixe uma resposta