Enxaguatório bucal que alivia a dor provocada pela radioterapia

enxaguante bucal

Recebeu o apelido de “Enxaguatório bucal mágico”, mas não tem nenhuma mágica. É pura ciência.
Também não é um enxaguatório de marca e sim uma fórmula de enxaguante bucal.

É um enxaguatório bucal contendo difenidramina, lidocaína e antiácidos. A combinação desses elementos numa solução reduziu significativamente a dor por mucosite oral. Essa mucosite se caracteriza por feridas na boca que surgem em pacientes que receberam radioterapia para câncer de cabeça e pescoço.

Estas foram as conclusões de um ensaio clínico de fase III de múltiplas instituições, randomizado, duplo-cego, controlado por placebo. Um estudo liderado por Robert Miller, MD, um oncologista emérito de radiação da Mayo Clinic.

Nosso grupo publicou um estudo em 2012 mostrando que o enxaguante bucal de doxepina reduzia a dor relacionada à mucosite oral, em comparação com o placebo ”, afirma o Dr. Miller.
“No entanto, não houve grandes ensaios clínicos randomizados estudando os benefícios potenciais do enxaguatório bucal mágico”.

A pesquisa – Enxaguante bucal mágico

Dr. Miller e seus colegas estudaram 275 pacientes entre novembro de 2014 e maio de 2016. Eles verificaram que a dor relacionada à mucosite oral era significativamente menor após as lavagens com doxepina e enxaguatório bucal mágico comparados ao placebo.
Eles também descobriram que a doxepina e o enxaguante bucal mágico eram bem tolerados pelos pacientes.

“A radioterapia pode causar feridas na boca porque foi projetada para matar células que crescem rapidamente, como as células cancerígenas.
“Infelizmente, as células saudáveis da boca também se dividem e crescem rapidamente, e podem ser danificadas durante a radioterapia, o que pode causar desconforto. Estamos felizes por ter identificado um método comprovado para ajudar a tratar o desconforto desse efeito colateral. ” É o que afirmou ou Dr Miller.

enxaguatório bucalCuidado com os enxaguatórios bucais – alguns podem realmente fazer mal

Todos já vimos os comerciais – apenas 30 segundos de bochechos agitados e seus dentes ficarão mais brancos. Suas gengivas serão mais saudáveis, e todos os seus problemas de mau hálito desaparecerão!
Exceto … Isso não é realmente o que está acontecendo. De fato, o exagero no uso de enxaguatórios bucais é um erro que precisa ser evitado. Já alertamos sobre os riscos do uso indiscriminado de enxaguantes bucais aqui no blog Dentalis.

Além do marketing nas propagandas, é importante entender que o enxaguatório bucal não é apenas uma maneira de os fabricantes ganharem mais dinheiro. O colutório não apenas atenderá às reivindicações divulgadas em comerciais caros e em rótulos chamativos. Acontece que o colutório convencional pode realmente piorar seus problemas de saúde bucal e dental.

Principais problemas relacionados aos enxaguatórios bucais

A seguir, estão os principais problemas com as enxaguatórios bucais populares encontrados nas prateleiras de supermercados e drogarias.

Enxaguatório bucal destrói o microbioma oral

Pense no enxaguatório bucal como o equivalente a antibióticos desnecessários na boca. Da mesma forma que os antibióticos afetam totalmente o equilíbrio de bactérias no intestino, o enxaguatório bucal destrói todas as bactérias indiscriminadamente. E, assim como você precisa da sua flora bacteriana para a saúde intestinal, precisa de boas bactérias para apoiar seu microbioma oral. As bactérias boas que apoiam o microbioma oral contribuem para diminuir o risco de problemas comuns como cáries, gengivite e mau hálito.

Enxaguatório bucal resseca a boca

É incrivelmente importante ter saliva suficiente na boca. É a saliva que suporta o processo de remineralização, ajudando a prevenir e reverter as cáries naturalmente.
Infelizmente, o enxaguante bucal interrompe a produção natural de saliva da boca. O creme dental contém compostos aniônicos para matar as bactérias que permanecem após a escovação. Enquanto isso, o alto teor de álcool no enxaguatório bucal contém compostos catiônicos que neutralizam o que a pasta de dente deixou para trás. A reação entre esses dois tipos de compostos cria um efeito de ressecamento nas bochechas e na boca.
Algumas pessoas até experimentam reações dolorosas por causa dessa reação, incluindo descamação da pele.

Enxaguatório bucal pode até causar mais cáries

Ao contrário da crença popular, a morte de “99,9% das bactérias” não ajuda na sua saúde bucal, impedindo a formação de cáries.
Primeiro de tudo, seu microbioma oral existe para ajudar a apoiar a remineralização natural dos dentes. Caso todas as bactérias da boca (boas e ruins) sejam mortas, você eliminará uma parte crítica da equação na reversão da cárie dentária.

A saliva é outro componente essencial do processo de remineralização. A saliva é, como dito anteriormente, reduzida com o uso de enxaguatório bucal.
A saliva serve para desorganizar as bactérias orais que podem causar cáries. A saliva também tem a função de depositar minerais importantes como fósforo, magnésio e vitamina K2 nos dentes.

O enxaguante bucal não corrige realmente o mau hálito

Não deixe o sabor de menta enganar você. O enxaguante bucal convencional pode ter um bom gosto, mas na verdade não reverte a halitose.
O álcool no enxaguatório bucal resseca o ambiente bucal. Assim, inadvertidamente ele rouba a boca da saliva e das boas bactérias necessárias para o controle da respiração.

Podem levar à formação de úlceras na boca

O ressecamento da boca resulta em mais do que mau hálito. A neutralização dos compostos de pasta de dente e do enxaguatório bucal realmente afeta a camada protetora da bochecha. Assim, é possível que o uso de enxaguatório bucal convencional possa criar ulcerações.

Enxaguante bucal está ligado ao risco de câncer bucal

É provável que enxaguantes bucais com álcool aumentem o risco de câncer bucal.
Uma razão subjacente para essa conexão pode ser o fato de as pessoas que fumam tendem a usar enxaguatório bucal com mais frequência para esconder o odor. Isso agrava o risco de câncer bucal.

Por que a sensação de queimação no uso de enxaguantes bucais com álcool?

Enxaguatórios bucais provocam sensação de queimação na boca devido à presença de ingredientes levemente irritantes para a pele. São eles: eucaliptol, mentol, timol e salicilato de metila. A outra razão é que esses enxaguantes bucais não conseguem destruir todos os germes da boca. Em vez disso, seus componentes se espalham nas gengivas, dentes e língua, causando a sensação familiar de queimação.

Ingredientes de enxaguatórios bucais a serem evitados

Como você pode ver, enxaguantes bucais podem criar uma série de problemas. E isso se deve principalmente aos ingredientes que eles contêm.
Aqui estão os piores e que devem ser evitados.

1. Álcool

Enxaguatórios bucais convencionais contêm cerca de 26% de álcool, na forma de etanol. Na verdade, essa é uma porcentagem maior do que a encontrada no vinho. O álcool é o que causa a ressecamento da boca.
Uma boca seca pode levar a um mau hálito piorado, descamação da pele na parte interna das bochechas e um pH excessivamente ácido na boca. O que acaba interferindo na remineralização.

2. Dióxido de cloro

O dióxido de cloro é um agente clareador e composto antibacteriano usado no enxaguante bucal para ajudar a clarear os dentes.
Também é usado para tratar o abastecimento público de água em doses muito pequenas.

3. Clorexidina

A clorexidina um agente antisséptico que elimina bactérias. Infelizmente, também é um grande alergeno. A reação mais comum à clorexidina é a dermatite de contato.
Em casos raros, algumas pessoas podem entrar em choque anafilático quando expostas a ela.

4. Cocamidopropil Betaína

A cocamidopropol betaína é um surfactante. Ou seja, um ingrediente usado em produtos de cuidados pessoais para torná-los mais espumoso. Pode causar reações alérgicas por dermatite de contato. O Grupo de Trabalho Ambiental (EWG) classifica-o como um “risco moderado” como ingrediente.

5. Parabenos

Parabenos têm ação conservante. Em graus variados, os parabenos são desreguladores endócrinos que também podem impactar e incentivar reações alérgicas.

6. Poloxamer 407

Ingrediente que tem ação detergente no enxaguante bucal. Causa hiperlipidemia em animais, embora a pesquisa em humanos não esteja clara se o impacto se estende aos seres humanos.

7. Formaldeído (Formol)

Existem vários perigos da exposição ao formaldeído, incluindo reações na pele, risco elevado de câncer, problemas respiratórios e desligamento de vários sistemas (em grandes doses).

8. Sacarina

Para evitar o uso de açúcar refinado, os enxaguantes bucais às vezes incluem sacarina como adoçante substituto.
Os riscos à saúde desse ingrediente não são claros – algumas fontes sugerem que há um risco potencial de câncer. Outras, no entanto, sugerem que não há desvantagens rastreáveis à saúde.
De qualquer forma, o melhor seria preferir apenas os adoçantes naturais e não nutritivos (sem calorias), como a estévia.

Fontes: Mayo Clinic, ask the dentist

Deixe uma resposta