Fármaco que pode eliminar bactérias resistentes aos antibióticos

Um grupo de investigadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos da América, desenvolveu um novo fármaco que tem a capacidade de eliminar bactérias resistentes aos antibióticos.

A notícia é dada pelo The Guardian, que informa que os cientistas fundiram um antibiótico já existente com uma molécula que tem a capacidade de atrair anticorpos liberados pelo sistema imunológico para, assim, combater ‘invasores’, como as bactérias.

De acordo com os cientistas, este ‘imunobiótico’ consegue atingir várias bactérias responsáveis por doenças como pneumonia com intoxicações alimentares e também bactérias resistentes aos chamados antibióticos ‘de último recurso’.

O The Guardian explica ainda que esta pesquisa usou um composto baseado num antibiótico de ‘último recurso’ já existente, chamado de Polimixina, e que destrói a camada exterior da superfície das células das bactérias, fazendo com que estas se rompam e morram.

Bactérias do mal – crescimento alarmante

As bactérias resistentes a antibióticos de ‘último recurso’ vem aumentando num ritmo alarmante, uma tendência que levou a Comissão Europeia a lançar em 2017 o ‘European One Health Action Plan’, um plano de ação de combate contra a resistência aos antibióticos que fixa, como um dos objetivos, a criação de um conjunto de medidas que façam da União Europeia a região com as melhores práticas de combate à resistência aos antibióticos.

A Comissão Europeia quer todos os Estados-membros compartilhem a sua experiência e os recursos necessários e pretende reforçar os sistemas de vigilância, especialmente através do levantamento de dados.

Deixe uma resposta