Fumantes tem risco maior de perda de dentes

homem fumando

A perda de dente continua a ser um grande problema de saúde pública no mundo. Globalmente, cerca de 30 por cento daqueles com 65 a 74 anos perderam todos os dentes naturais. Vários fatores de risco podem contribuir para a doença bucal e resultar no edentulismo, tais como uma dieta inadequada, uso nocivo de álcool e uso de tabaco. analysis of website Um novo estudo agora confirmou que fumantes regulares têm um risco significativamente aumentado de perda de dente.
 
Os pesquisadores têm como objetivo avaliar a associação entre tabagismo e cessação do tabagismo e perda de dentes em três diferentes grupos de idade. Eles descobriram que a relação entre tabagismo e perda de dente foi mais forte entre os jovens do que nos grupos mais velhos. Além disso, os resultados demonstraram claramente que a relação foi dose dependente; fumantes intensos apresentaram um risco maior de perder seus dentes do que fumantes que fumam menos cigarros. Homens fumantes possuem até 3,6 vezes mais probabilidades de perder seus dentes do que os não fumantes, considerando que mulheres fumantes têm 2,5 vezes mais probabilidades, acharam os pesquisadores. Esses achados foram independentes de outros fatores de risco, como o diabetes, e são baseados em dados de 23.376 participantes.
 
“A maioria dos dentes é perdida como resultado de uma cárie ou periodontite crônica. Sabemos que fumar é um forte fator de risco para periodontite, de modo a direcionar a um longo caminho para explicar o alto índice de perda de dentes em fumantes”, explicou o autor principal, Prof. Thomas Dietrich da Escola de Odontologia da Universidade de Birmingham. Fumar pode mascarar sangramento gengival, o principal sintoma da periodontite. Como resultado, a gengiva de um fumante pode parecer mais saudável do que realmente é. “É realmente lamentável que o tabagismo possa ocultar os efeitos da doença da gengiva, como muitas vezes as pessoas não enxergam o problema até que ele esteja muito longe abaixo da linha. A boa notícia é que a interrupção do tabagismo pode reduzir o risco com bastante rapidez. Eventualmente, um ex-fumante teria o mesmo risco de perda de dente, como alguém que nunca fumou, apesar de que isso possa levar mais de dez anos”, Dietrich adicionou.
 
“Doença da gengiva e consequente perda de dente pode ser o primeiro efeito perceptível sobre a saúde do fumante. Assim, ele pode dar às pessoas a motivação para parar de fumar antes do potencial surgimento de condições de risco de vida, tais como o câncer de pulmão, e para reduzir o risco de infarto do miocárdio que está associado a doenças das gengivas e perda de dentes”, disse o autor do estudo Dr. Kolade Oluwagbemigun do Instituto Alemão de Nutrição Humana, em Potsdam.
 
“Além dos muitos benefícios notados para a saúde cardiovascular, e risco de doença pulmonar e câncer, é claro que saúde dentária é ainda uma outra razão para não começar a fumar, ou para parar de fumar agora”, acrescentou o autor do estudo Prof. Heiner Boeing, também do mesmo instituto.
 
A pesquisa é o resultado de um longo estudo longitudinal de coorte do EPIC-Postdam na Alemanha realizado pelos pesquisadores da Universidade de Birmingham e do Instituto Alemão de Nutrição Humana. O EPIC (European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition – Investigação Prospectiva Europeia em Câncer e Nutrição) é um estudo de coorte prospectivo iniciado em 1992 que visa analisar as associações entre dieta, nutrição, câncer e outras doenças crônicas. O EPIC é um estudo multicêntrico com a colaboração de 23 centros de pesquisa em dez países europeus e inclui 519.000 participantes no estudo.
 
Os resultados do estudo, intitulado “Tabagismo, cessação do tabagismo e risco de perda de dente: O estudo EPIC-Potsdam”, foram publicados on-line antes da impressão no Journal of Dental Research em 4 de agosto.

Deixe uma resposta