Nova pesquisa sobre câncer de cabeça e pescoço será realizada no Brasil

tumores malígnos
A doença – que terá 20.000 novos casos em 2016 – é foco de pesquisa inédita no país
 
Pesquisadores do Fox Chase Cancer Center publicaram dados de 51.665 pacientes acometidos com câncer de cabeça e pescoço, e correlacionaram os resultados ao tempo de espera pelo tratamento.
 
Podendo atingir boca, garganta, laringe (cordas vocais), nariz, seios nasais e ao redor dos olhos, o câncer de cabeça e pescoço, como é conhecido, tem uma incidência marcante entre brasileiros: o câncer de cavidade oral, conhecido como câncer de boca, que é o quarto mais frequente entre homens das regiões Sul, Sudeste e Nordeste.
 
Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se quase 20 mil novos casos no Brasil, no ano de 2016. Em estudo recente, publicado no Journal of Clinical Oncology, foi possível demonstrar por meio de análises estatísticas que o tempo entre diagnóstico e início de tratamento impacta significativamente as chances de cura. A sobrevida global da doença, de acordo com a pesquisa, foi de 72 meses, 61 meses e 46 meses, respectivamente ao tempo de espera para o tratamento: 52 dias, 53 dias e 67 dias.

Concluindo

 
Com objetivo de melhorar a qualidade de vida de pacientes com este tipo de câncer, e ajuda-los a escolher a melhor opção de tratamento para cada caso, por meio de evidência científica, criou-se o projeto HN43 Brasil, uma pesquisa multicêntrica inédita. O estudo pretende pesquisar cerca de 1.000 pacientes, no período de dois a três anos.

Deixe uma resposta