Novo estudo sugere que muitos implantes dentários podem ser propensos à fratura

dentesUm exame de 100 implantes dentários biologicamente falhos verificou que mais de 60 por cento desses implantes mostraram sinais de falhas mecânicas, tais como quebra por defeitos e quebra completa. Publicando esses resultados, os pesquisadores têm como objetivo incentivar os fabricantes de implante dentário e os dentistas a encontrar formas de reduzir os danos estruturais que ocorrem quando o metal é sujeito a repetidas cargas aplicadas.

No estudo, os pesquisadores examinaram 100 implantes dentários descartados, que tinham sido extraídos devido a periimplantite, feitos de uma liga de titânio e titânio comercialmente puro usando energia dispersiva de raios X e microscopia eletrônica de varredura. Eles encontraram defeitos mecânicos em 62 por cento dos espécimes. Além disso, a inspeção mostrou que os implantes de titânio puro tinham mais rachaduras do que os de liga de titânio.

“Partículas inseridas parecem estar ligadas à geração de defeitos de superfície que evoluem em quebra completa,” disse Dra Keren Shemtov-Yona , pesquisadora em odontologia do Technion – Israel Institute of Technology, que conduziu o estudo como parte de seu Mestrado em Ciências. Além disso, o desgaste do uso diário pode também contribuir para o potencial defeito de fabricação, evoluir para rachaduras e posteriormente levar à falha do material, afirmaram os pesquisadores. Verificou-se também que a largura e o comprimento dos diferentes implantes no presente estudo não foram correlacionados com os defeitos observados.

Shemtov-Yona está visando a realização de novos estudos para investigar as razões para o desenvolvimento de trincas para determinar se as causas residem na fabricação, uso ou ambos.

O estudo, intitulado “Sobre a integridade mecânica de implantes dentários recuperados “, foi publicado no Journal of the Mechanical Behavior of Biomedical Materials.

Deixe uma resposta