O tabagismo e a endodontia

Os impactos negativos do hábito de fumar sobre a saúde são amplamente conhecidos. Aqui neste link você pode conferir 8 prejuízos causados pelo tabagismo no entanto, poucas são as pesquisas sobre suas consequências em relação à endodontia.

Em um novo estudo realizado por cientistas da Faculdade de Odontologia da Universidade Case Western Reserve, em Cleveland, pesquisadores descobriram que o fumo enfraquece a capacidade da polpa dentária de combater doenças.

Falando sobre a pesquisa, a Dra. Anita Aminoshariae, Professora Associada de Endodontia e diretora do Pré-doutorado na Case Western, disse: “Isso pode explicar por que os fumantes têm resultados endodônticos mais fracos e apresentam atraso na cicatrização quando comparados aos não fumantes.
Imagine que TNF-α [fator de necrose tumoral α] e hBD-2 [beta-defensina humana 2] estão entre os soldados em uma última linha de defesa fortificando um castelo. Fumar mata esses soldados antes que eles tenham a chance de montar uma defesa sólida ”.

No estudo, os cientistas buscaram compreender melhor por que os fumantes apresentam uma maior possibilidade para o desenvolvimento de doença periodontal e são quase duas vezes mais propensos a necessitar de terapia de canal radicular.

Metodologia

Das câmaras pulpares de 32 fumantes e 37 não fumantes, todos diagnosticados com pulpite irreversível normal ou sintomática ou pulpite irreversível assintomática, a equipe coletou amostras e mediu os níveis de interleucina (IL) 1β, TNF-α, hBD-2 e hBD-3. “Hipotetizamos que as defesas naturais seriam reduzidas em fumantes; não esperávamos que eles as esgotassem completamente ”, explicou Aminoshariae .

De acordo com os resultados do estudo, as concentrações pulpares de TNF-α e hBD-2 foram significativamente menores entre os fumantes, enquanto não houve diferença significativa em IL-1β ou hBD-3. A análise bidirecional da covariância também revelou que a condição de tabagismo, e não o diagnóstico endodôntico (estado pulpar), afetou significativamente os níveis de TNF-α e hBD-2.

Parar de fumar pode fazer diferença

Embora os resultados do estudo forneçam mais um argumento contra o tabagismo, um resultado encorajador da pesquisa foi que dois dos pacientes no estudo que pararam de fumar experimentaram um retorno dos mecanismos de defesa necessários para combater a pulpite.

O estudo, intitulado “Comparação da expressão de IL-1β, TNF-α, hBD-2 e hBD-3 na polpa dentária de fumantes versus não fumantesD”, foi publicado na edição de dezembro de 2017 do Journal of Endodontics.

Dicas para parar de fumar

Os benefícios de parar de fumar são percebidos rapidamente. Em cerca de três semanas, você já nota diferenças – percebe melhor cheiros e paladares e respira com mais facilidade. Além disso, a pressão e o nível de oxigênio no sangue são normalizados. Apesar de parecer que parar de fumar é difícil, se você adotar uma estratégia, pode ser mais fácil.

O primeiro passo para parar de fumar é escolher uma data. Você tem mais chances de sucesso se escolher uma que seja nos próximos trinta dias. Assim, até lá, você pode diminuir gradativamente o número de cigarros que fuma por dia ou atrasar o horário do primeiro cigarro. Isso é importante para você se preparar para a mudança.

Como passar os primeiros dias sem fumar?

Mesmo se você se preparar até a data escolhida, os primeiros dias sem fumar podem ser os mais difíceis. Fazer pequenas mudanças na sua rotina, como um caminho diferente para ir trabalhar, trocar o café por chá ou almoçar em um lugar diferente podem te ajudar a assimilar a mudança de parar de fumar.

Você também deve se livrar de todo o estoque de cigarros que tiver em casa, no trabalho ou no carro e não ficar perto de pessoas que estão fumando ou em situações que o desejo de fumar é maior. Se não puder evitar esses momentos, substitua o cigarro por algo saudável, como biscoitos com fibra extra, por exemplo.

Ocupar o tempo livre com exercícios físicos ou atividades divertidas, manter-se hidratado com água e suco e evitar bebidas alcoólicas também são mudanças na rotina que podem te ajudar a se adaptar ao novo estilo de vida.

Apoio de familiares, amigos e médicos ajuda a parar de fumar

Além de ajudar a acompanhar os benefícios para a saúde que a decisão de parar de fumar traz, o médico também pode indicar medicamentos que ajudem no processo. Amigos e familiares também podem ajudar nos dias de preparação e dar incentivos nos dias mais difíceis.

Como lidar com a abstinência do cigarro

Em muitos momentos, você terá vontade de acender um cigarro. Quando isso acontecer, tente encontrar outras formas de aliviar a tensão. Concentre-se em coisas que te causam satisfação e pense nos benefícios que essa escolha está proporcionando para a sua saúde.

Fontes: Pubmed, Mayo Clinic e Pfizer

Dentalis Software – a sua melhor escolha em software para odontologia

Deixe uma resposta