Probióticos podem reduzir sintomas de depressão

depressão

Uma nova pesquisa mostrou que os probióticos podem ajudar a reduzir os sintomas da depressão.
Probióticos nesse caso pode ser entendido como uma combinação de prebióticos e probióticos.

Uma nova revisão da pesquisa atual sobre os efeitos dos prebióticos e probióticos descobriu algo curioso e muito interessante.

Observou-se que os probióticos – isoladamente ou em combinação com os prebióticos – podem ajudar a reduzir os sintomas de depressão de uma pessoa.

A mesma revisão, no entanto, constatou que prebióticos e probióticos não tiveram um efeito estatisticamente significativo na ansiedade.

Além disso, os prebióticos por si só não reduziram significativamente os sintomas de ansiedade ou depressão.

Os autores desse trabalho alertam que mais pesquisas são necessárias para investigar essas descobertas potencialmente valiosas.

O artigo citado aparece na revista BMJ Nutrition, Prevention & Health.

Depressão e sua ligação com o eixo intestino-cérebro

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde Mental, a depressão é um distúrbio de humor que dura pelo menos 2 semanas e pode ter uma variedade de sintomas.

Isso pode incluir sentir-se triste, zangado, irritado, sem valor, culpado ou desamparado.

Algumas pessoas podem não se interessar por hobbies e atividades, se sentem cansadas, acham difícil se concentrar, têm problemas para dormir ou até tem pensamentos suicidas.

Cerca de 7% de todos os adultos nos Estados Unidos tiveram pelo menos um episódio depressivo maior no ano passado.

O tratamento da depressão geralmente envolve medicamentos, terapias ou uma combinação de ambos.

Uma variedade de fatores, biológicos, genéticos, ambientais ou psicológicos, pode causar depressão. Frequentemente, é provável que uma combinação delas esteja em jogo.

De acordo com pesquisas recentes, um fator que pode contribuir para problemas de depressão e saúde mental, é a ligação intestino-cérebro.

O eixo intestino-cérebro descreve a relação entre o microbioma intestinal de uma pessoa e seu sistema nervoso central (CNS). O CNS inclui o cérebro e a medula espinhal. Microbioma é o ecossistema de microrganismos que vivem no intestino de uma pessoa.

Os sinais podem passar entre o microbioma intestinal de uma pessoa e seu CNS, mantendo ambos funcionando adequadamente.

Microbioma intestinal e a saúde do sistema nervoso central

Diante dessas observações, especialistas especulam que a saúde do microbioma intestinal pode afetar os distúrbios do SNC. Incluindo alguns distúrbios da saúde mental.

Dois fatores chave na manutenção da saúde do microbioma intestinal são os prebióticos e probióticos.

De acordo com o Centro Nacional de Saúde Complementar e Integrativa, os probióticos contêm microrganismos vivos que contribuem para o microbioma de uma pessoa.
Já os prebióticos ajudam a manter a saúde desses microrganismos.

Prebióticos e probióticos – suas fontes alimentares

Os probióticos podem ser encontrados em alimentos fermentados ou iogurte.
Os prebióticos estão presentes em várias plantas em pequenas quantidade.
Exigem a síntese para ter um efeito clinicamente mensurável.

Nesse contexto, os autores do artigo buscaram evidências dos possíveis benefícios da ingestão de prebióticos e probióticos para alívio dos sintomas de depressão e ansiedade.

Revisão bibliográfica – período de abrangência

A revisão bibliográfica se deu pela análise de estudos em inglês publicados entre 2003 e 2019.

Os estudos precisavam incluir participantes humanos com 18 anos ou mais. Todos os participantes reconheceram clinicamente serem portadores de ansiedade ou depressão.
E todos receberam uma intervenção prebiótica ou probiótica na dieta.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware,  no Face @Dentalis.Software e no Twitter @Dentalisnet

Fonte: BMJ Nutrition, Prevention & Health, Science Focus

Deixe uma resposta