Relação da temperatura com a formação de abscessos dentários

Um estudo recente, apresentado no 68º Congresso Anual da Sociedade Alemã de Cirurgia Oral e Maxilofacial (Deutsche Gesellschaft für Mund-, Kiefer- und Gesichtschirurgie), em Dresden, demonstrou que grandes mudanças de temperatura favorecem a formação de abscessos dentários.A temperatura poderá chegar e até passar dos 38 °C no Brasil no próximo verão.
Embora o excesso de calor possa ser um sinal de dias cansativos à frente, ela também pode influenciar o desenvolvimento de abscessos dentários, já que a temperatura ambiente e os parâmetros climáticos, como temperatura do ar, pressão do ar e umidade, são considerados como tendo um papel influente.

Metodologia

A fim de esclarecer se “abscess weather” realmente existe ou é apenas um mito, o estudo examinou 1.000 pacientes entre 2005 e 2015. Eles foram admitidos no departamento de cirurgia oral e maxilofacial no hospital universitário de Dresden para o tratamento de abscessos purulentos agudos na área oral, maxilar e facial. Para cada caso, o local do abscesso e a causa foram registrados. Ao mesmo tempo, dados meteorológicos como temperatura do ar, pressão do ar e umidade na estação meteorológica de Dresden-Klotzsche foram analisados no dia da admissão e nos dias anteriores. Os resultados foram então comparados.

Os resultados do estudo mostraram que mais pacientes com abscessos se apresentaram ao hospital universitário em tempos de grandes mudanças de temperatura. Em contraste com esses parâmetros dinâmicos, os dados meteorológicos estáticos, como temperatura, pressão do ar e umidade, não tiveram influência estatisticamente significativa na frequência de abscessos.

Dentalis Software – colabora com o seu sorriso e de seus pacientes

Deixe uma resposta