Risco de perda de dentes é maior em diabéticos

Diabete e Odontologia 

diabetesEmbora muitos estudos tenham sido feitos sobre a perda de dentes entre a população em geral, faltam provas científicas sobre a condição em pacientes com diabetes. Para resolver estas limitações, pesquisadores investigaram os dados de mais de 37.500 adultos durante um período de quarenta anos e verificaram que os diabéticos, particularmente hispânicos negros adultos, têm um aumento do risco de perda de dente quando comparados a indivíduos saudáveis.

O estudo, que foi realizado por pesquisadores da Duke University School of Nursing (Escola de Enfermagem da Universidade de Duke), revelou que em geral, diabéticos perderam mais dentes durante o período considerado do que os adultos sem diabetes, independentemente da sua origem étnica. Em média, eles perderam cerca de duas vezes o número de dentes.

Embora a perda de dente aumente com a idade, a taxa de aumento varia por estado de diabetes e etnia. No grupo de não-hispânicos negros adultos, perda de dente aumentou mais rapidamente do que em brancos não hispânicos ou mexicano americanos. Não-hispânicos negros diabéticos perderam o maior número de dentes.

Assim, os pesquisadores concluíram que cuidados dentários adequados e retenção de dente precisam ser melhor promovidos para adultos com diabetes, especialmente entre grupos étnicos minoritários, tanto por profissionais médicos e dentários. Como há indícios crescentes de que a saúde oral está associada com a saúde global, uma abordagem interdisciplinar é necessária para garantir um melhor atendimento e gestão da doença. Por exemplo, tem sido conhecido há décadas que o diabetes tipo 1 e 2 são ambos fatores de risco para doença periodontal.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, diabetes está se tornando mais comum nos Estados Unidos. De 1980 a 2014, o número de americanos com diagnóstico de diabetes quadruplicou. Uma estimativa de 29,1 milhões de pessoas nos EUA (9,3% da população) tem diabetes, incluindo 8,1 milhões de casos não diagnosticados. Em 2010 nos EUA, diabetes foi a sétima maior causa de morte. Taxas de diabetes também são mais elevadas entre a população minoritária dos EUA do que em brancos não hispânicos (13,2 % em negros não hispânicos, 12,8 % em hispânicos e 7,6% em brancos não hispânicos).

O estudo intitulado “Quarenta anos tendências de perda de dentes entre adultos americanos com e sem diabetes mellitus: Uma análise da época – período – coorte,” foi publicado na edição de dezembro da revista Preventing Chronic Disease, uma revista eletrônica peer-reviewed publicada pelo National Center for Chronic Disease Prevention and Health Promotion. Dados para o estudo foram obtidos a partir da National Health and Nutrition Examination Survey.

Dentalis software – administra seu consultório odontológico garantindo mais tempo para o seu paciente

Deixe uma resposta