complicações da doença

A vacina MMR pode proteger contra as complicações da COVID-19?

vacina MMR

Os cientistas propõem que vacinas vivas atenuadas, como a vacina MMR, poderiam proteger contra os sintomas graves do COVID-19.

Enquanto a corrida pela vacina COVID-19 continua, pesquisadores da Louisiana State University e da Tulane University (ambas, EUA) propuseram que a vacina MMR poderia reduzir o risco para o desenvolvimento de sintomas graves do COVID-19.

Vacina MMR – vacina viva atenuada

A vacina MMR é aquela utilizada para prevenção do sarampo, caxumba e rubéola.
A vacina MMR é uma forma de vacina viva atenuada.

Essas vacinas contêm uma forma viva do patógeno causador da doença original que foi enfraquecido.
Quando injetados, estimulam a resposta imune necessária sem causar a própria doença.

É certo que a vacina MMR não é uma vacina que especificamente proteja o indivíduo de uma infecção da COVID-19.

Proteção contra sepse letal

Porém, foi demonstrado que vacinas como a MMR atuam como uma medida imune preventiva contra sintomas inflamatórios. E assim protegem contra uma sepse letal.

Um quadro de sepse letal é aquele em que o paciente atinge um quadro de choque séptico. Daí a pressão sanguínea cai para níveis baixos e perigosos, reduzindo a oxigenação de órgãos, comprometendo seu funcionamento. É um quadro que pode levar à morte.

Vacinas vivas atenuadas – como agem

As evidências sugerem que as vacinas vivas atenuadas são capazes de fornecer proteção contra infecções não relacionadas. Elas ativam células imunes inespecíficas. Assim, desencadeiam uma resposta aprimorada do hospedeiro contra infecções subsequentes.

Em seus comentários recentes, os autores propõem que essa capacidade pode se estender à proteção contra os efeitos colaterais mais graves da COVID-19.

O estudo

Os pesquisadores demonstraram a capacidade de usar uma cepa fúngica viva atenuada que gerou uma proteção inata treinada contra a sepse.
Sepse essa que foi desencadeada por patógenos causadores de doenças em camundongos.

Eles propõem que a proteção seja garantida por células supressoras derivadas de mieloides de longa duração. Essas células já tinham demonstrado ação inibidora de inflamação e mortalidade sépticas em experimentos anteriores.

Vacina MMR em adultos

O uso de vacinas vivas atenuadas na infância, como a MMR, administrada a adultos podem atenuar ou reduzir complicações graves associadas à infecção por COVID-19.
Representam um risco baixo e são uma medida preventiva de alta recompensa durante um período crítico da pandemia, conforme o autor do estudo autor Paul Fidel (Louisiana State University).

Essa noção não é inteiramente nova e pelo menos seis outros ensaios clínicos estão em andamento em vários países diferentes.
São experimentos para testar se um efeito benéfico contra a COVID-19 pode ser suscitado pela vacinação com Mycobacterium bovis BCG, uma vacina viva atenuada para tuberculose.

No entanto, esses estudos estão investigando na eficácia de tais vacinas contra a infecção por COVID-19.

Fidel e a coautora Mairi Noverr (Universidade de Tulane) são únicos em seu foco que é a atenuação dos sintomas mais graves da COVID-19.

Vacina MMR – proteção contra o sarampo, caxumba e rubéola

A proteção contra sarampo, caxumba e rubéola se faz pela vacina quando criança e também ao longo da vida.
O uso da vacina MMR por adultos é o que se pode chamar de proteção não específica contra a COVID-19.
Os autores observam que pode valer a pena obter um reforço da vacina MMR em adultos para proteção contra os sintomas graves da COVID-19.

Concluindo

Se os pesquisadores estiverem certos, um indivíduo vacinado com MMR pode sofrer menos se infectado pela COVID-19.
Se estiverem errados, a pessoa terá melhor imunidade ao sarampo, caxumba e rubéola.

Fonte: mBio
Posted by Victor in Estudos, 0 comments