detecção do câncer no exame de sangue

Descoberta: detecção precoce do câncer em exame de sangue

detecção precoce do câncer

Você já deve ter ouvido falar sobre detecção precoce do câncer. Mas esta detecção precoce do câncer é tema desse artigo é simplesmente revolucionária.

Um novo exame de sangue em desenvolvimento mostrou capacidade de rastrear vários tipos de câncer com um alto grau de precisão.

Os pesquisadores do Instituto de Câncer Dana-Farber são os autores de uma descoberta revolucionária.
Revolucionária porque pode permitir a detecção precoce do câncer em seus estágios mais iniciais.
O resultado do trabalho por eles desenvolvido foi apresentado na Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO) 2019 .

Sequenciamento de DNA

Esse novo exame, desenvolvido pela GRAIL, usa a tecnologia de sequenciamento de DNA de última geração. Seu objetivo é pesquisar a presença de minúsculas marcas químicas (metilação) no DNA. Essas marcas determinam se os genes são ativos ou inativos.

O teste foi aplicado em um total de quase 3.600 amostras de sangue. Alguns dessas amostras eram de pacientes com câncer, outras de pessoas que não foram diagnosticadas com câncer no momento da coleta de sangue.

O teste detectou com sucesso presença de câncer nas amostras de pacientes com câncer e identificou corretamente o tecido de onde o câncer se originou.

Especificidade elevada

A especificidade do teste foi alta. Ou seja, a sua capacidade de retornar um resultado positivo somente quando o câncer está realmente presente.
Assim como sua capacidade de identificar o órgão ou tecido de origem.

O novo teste faz a busca por DNA que células cancerígenas lançam na corrente sanguínea quando morrem.

As chamadas “biópsias líquidas” detectam mutações genéticas ou outras alterações no câncer relacionadas ao câncer. Já essa nova tecnologia se concentra nas modificações do DNA conhecidas como grupos metil. Grupos metila são unidades químicas que podem ser ligadas ao DNA, em um processo chamado metilação, para controlar quais genes estão “ativados” e quais estão “desativados”.

Os padrões anormais de metilação acabam sendo, em muitos casos, mais indicativos de câncer – e qual tipo de câncer – do que as mutações.

Padrões de metilação é a chave

O novo teste concentra-se em partes do genoma, onde padrões anormais de metilação são encontrados nas células cancerígenas.

Ficou comprovado que os ensaios baseados em metilação superam as abordagens tradicionais de sequenciamento de DNA. Isso para detecção de múltiplas formas de câncer em amostras de sangue.

Os resultados do novo estudo demonstram que esses ensaios são uma maneira viável de realizar a pesquisa do câncer na população. E também colaborar para a detecção precoce do câncer.

O estudo

No estudo, os pesquisadores analisaram o DNA de forma isolada. Ou seja, o DNA que já havia sido confinado às células, mas que entrara na corrente sanguínea após a morte das mesmas em 3.583 amostras de sangue. O total analisado incluiu 1.530 amostras de pacientes diagnosticados com câncer e 2.053 de pessoas sem câncer.

As amostras de pacientes compreenderam mais de 20 tipos de câncer. Pacientes com cânceres de mama com receptor de hormônio negativo, colorretal, esôfago, vesícula biliar, estômago, cabeça e pescoço, pulmão, leucemia linfoide, mieloma múltiplo, ovário e câncer de pâncreas.

Grau de acerto

A especificidade geral foi de 99,4%, significando que apenas 0,6% dos resultados indicaram incorretamente que o câncer estava presente.

A sensibilidade do ensaio para a detecção de um câncer pré-especificado de alta mortalidade (a porcentagem de amostras de sangue desses pacientes que apresentaram resultado positivo para câncer) foi de 76%. Dentro deste grupo, a sensibilidade foi de 32% para pacientes com câncer em estágio I; 76% para aqueles com estágio II; 85% para o estágio III; e 93% para o estágio IV.

A sensibilidade em todos os tipos de câncer foi de 55%, com aumentos similares na detecção por estágio.
Para os 97% das amostras que retornaram um resultado de tecido de origem, o teste identificou corretamente o órgão ou tecido de origem em 89% dos casos.

Esperança de cura – detecção precoce do câncer

A detecção precoce do câncer é sem dúvida a melhor arma que hoje dispomos para vencer a batalha contra o câncer diante da diversidade com que ele se apresenta.
A detecção precoce do câncer pode salvar vidas uma vez que dará mais tempo para que os tratamentos disponíveis possam apresentar resultados efetivos contra essa grave doença.

detecção precoce do câncer

Prevenção do câncer – 7 medidas simples para diminuir seu risco

Você provavelmente já ouviu relatos conflitantes sobre a prevenção do câncer.
Às vezes, uma dica específica de prevenção do câncer recomendada em um estudo é desaconselhada em outro.

Muitas vezes, o que se sabe sobre a prevenção do câncer ainda está evoluindo.

No entanto, já é um consenso que as chances de desenvolver câncer são afetadas pelas escolhas de estilo de vida que você faz.
Mudanças simples no seu estilo de vida podem acabar fazendo toda a diferença.
Apresentamos aqui algumas dicas bem simples para prevenção do câncer que você pode incorporar no seu dia a dia.

1. Fuja do cigarro

O tabagismo coloca você em rota de colisão com o câncer. O hábito de fumar tem sido associado a vários tipos de câncer. São eles, os cânceres de pulmão, boca, garganta, laringe, pâncreas, bexiga, colo do útero e rim.
O hábito de mascar o tabaco tem sido associado ao câncer de boca e do pâncreas.

Mesmo que você não fume, a exposição à fumaça do cigarro (fumante passivo) pode aumentar o risco de câncer de pulmão.

Evitar o cigarro – ou decidir parar de usá-lo – é uma fundamental na prevenção do câncer.

Existem tratamentos e recursos medicamentosos para auxiliar os fumantes a abandonarem a dependência da nicotina. Muitas das vezes a busca por ajuda profissional é altamente recomendável.

2. Alimentação saudável

Embora fazer seleções saudáveis no supermercado e na hora das refeições não garanta a prevenção do câncer, isso pode reduzir o risco. Considere estas sugestões:

  • Coma muitas frutas e legumes;
  • Baseie sua dieta em frutas, legumes e outros alimentos de fontes vegetais – como grãos integrais e feijões;
  • Evite a obesidade: procure se alimentos mais leves e com baixo teor calórico. Evite açúcar refinado e gordura de origem animal.
  • Moderação com o álcool: Se for consumir álcool o faça com moderação. O risco de vários tipos de câncer – incluindo câncer de mama, cólon, pulmão, rim e fígado – aumenta com a quantidade de álcool que você bebe e com o tempo que vem sendo ingerido em excesso.
  • Limite o consumo de carnes processadas: Um relatório da Agência Internacional para Pesquisa do Câncer, a agência de câncer da Organização Mundial da Saúde, concluiu que o consumo de grandes quantidades de carne processada pode aumentar o risco de certos tipos de câncer. Mulheres que seguem uma dieta mediterrânea com azeite de oliva extra virgem e castanhas podem ter um risco reduzido de câncer de mama. A dieta mediterrânea concentra-se principalmente em alimentos à base de plantas, como frutas e legumes, grãos integrais, legumes e nozes. As pessoas que seguem a dieta mediterrânea fazem escolhas saudáveis: escolhem gorduras do bem, como azeite, em vez de manteiga, e peixe, em vez de carne vermelha.

3. Mantenha um peso saudável e seja fisicamente ativo

Manter um peso saudável pode diminuir o risco de vários tipos de câncer, incluindo câncer de mama, próstata, pulmão, cólon e rim.

A atividade física também conta. Além de ajudá-lo a controlar seu peso, a atividade física por si só pode diminuir o risco de câncer de mama e câncer de cólon.

Os adultos que participam de qualquer quantidade de atividade física obtêm benefícios à saúde.

Para usufruir dos benefícios da prática de atividade física adotar uma rotina saudável é essencial. Assim, procure reservar pelo menos 150 minutos por semana para uma atividade aeróbica moderada ou 75 minutos por semana de atividade aeróbica vigorosa.

Você também pode fazer uma combinação de atividade moderada e vigorosa.
Como objetivo geral, inclua pelo menos 30 minutos de atividade física em sua rotina diária – e se você puder fazer mais, melhor ainda.

4. Proteja-se do sol

O câncer de pele é um dos tipos mais comuns de câncer – e um dos mais evitáveis. Seguem algumas dicas.

  • Evite o sol do meio-dia: Fique longe do sol entre as 10h e as 16h, quando os raios do sol são mais fortes.
  • Fique na sombra: Quando estiver ao ar livre, fique na sombra o máximo possível. Óculos de sol e um chapéu de abas largas também ajudam.
  • Cubra as áreas expostas: Use roupas largas e bem tecidas que cubram o máximo possível de sua pele. Opte por cores vivas ou escuras, que refletem mais radiação ultravioleta do que os pastéis ou o algodão branco.
  • Não economize no protetor solar: Use um filtro solar de amplo espectro com um FPS de pelo menos 30, mesmo em dias nublados. Aplique protetor solar generosamente e aplique novamente a cada duas horas – ou mais frequentemente se estiver nadando ou suando.
  • Evite o bronzeamento artificial: as câmaras de bronzeamento artificial são tão prejudiciais quanto a luz solar natural em seus horários de intensidade máxima.

5. Não esqueça de se vacinar

A prevenção do câncer inclui proteção contra certas infecções virais. Duas vacinas que não podem faltar:

  • Hepatite B: A hepatite B pode aumentar o risco do desenvolvimento do câncer de fígado. A vacina contra a hepatite B é recomendada para certos adultos de alto risco – como adultos sexualmente ativos, mas que não mantêm relações mutuamente monogâmicas, pessoas com infecções sexualmente transmissíveis, pessoas que usam drogas intravenosas, e assistência médica ou profissionais de segurança pública que possam ser expostos a sangue ou fluidos corporais infectados.
  • HPV: O HPV é um vírus sexualmente transmissível que pode levar ao câncer de colo uterino e de outros órgãos genitais, bem como a células escamosas da cabeça e pescoço. A vacina contra o HPV é recomendada para meninas e meninos. A Food and Drug Administration dos EUA aprovou recentemente o uso da vacina Gardasil 9 para homens e mulheres com idades entre 9 e 45 anos.

6. Evite comportamentos de risco

Procure evitar comportamentos de risco que podem levar a infecções que, por sua vez, podem aumentar o risco de câncer.

  • Pratique sexo seguro: Limite o número de parceiros sexuais e use camisinha ao fazer sexo. Quanto mais parceiros sexuais você tiver em sua vida, maior a probabilidade de contrair uma infecção sexualmente transmissível – como HIV ou HPV. Pessoas que têm HIV ou AIDS têm um risco maior de câncer de ânus, fígado e pulmão. O HPV é mais frequentemente associado ao câncer do colo do útero, mas também pode aumentar o risco de câncer do ânus, pênis, garganta, vulva e vagina.
  • Não compartilhe agulhas: Compartilhar agulhas com pessoas que usam drogas intravenosas pode levar ao HIV, bem como à hepatite B e hepatite C. Isso pode aumentar o risco de câncer de fígado. No caso de dependência química, recomenda-se a busca por ajuda profissional.

7. Vá ao médico e faça exames regularmente

Autoexames e exames regulares para vários tipos de câncer – como câncer de pele, cólon, colo do útero e mama – podem aumentar as chances de descoberta do câncer mais cedo. Exames são fundamentais na detecção precoce do câncer.
Como já vimos anteriormente, a detecção precoce do câncer é o melhor de todos os remédios para a sua prevenção. Isso porque as chances do tratamento ser bem sucedido passam a ser muito grandes.

Fontes: The Oral Cancer Foundation, Mayo Clinic
Posted by Victor in Dicas, Estudos, 0 comments