diferenciação

É uma afta ou herpes? Como saber a diferença

É uma afta ou herpes? Como saber a diferença

afta ou herpes

Como saber a diferença entre uma afta ou herpes? Essa é a pergunta que iremos buscar responder neste artigo.

Afta ou herpes – Localizações mais comuns

Os especialistas ainda não sabem ao certo porque as aftas se desenvolvem. Aftas tendem a se formar dentro da boca.
Já o herpes labial resulta de uma infecção viral e é mais comum na boca ou ao redor dela.

As aftas são lesões redondas ou ovais dolorosas que se formam em tecidos moles dentro da boca. Tecidos como na língua ou nos lados internos dos lábios, ou bochechas.

As feridas do herpes são causadas pelo vírus herpes simplex.
Eles podem aparecer nos lábios ou ao redor deles, mas podem se desenvolver em outras partes do rosto ou na língua, gengivas ou garganta.

Estabelecer as diferenças entre uma lesão de afta ou herpes é fundamental. Para tanto agora vamos revisar seus diferentes sintomas e tratamentos.

Sintomas

Na busca pela identificação de uma afta ou herpes para encontrar o tratamento certo, o conhecimento dos diferentes sintomas é essencial:

afta ou herpes

Aftas

As aftas se formam nas áreas mais suaves da boca, como língua, bochechas, lábios e palato mole – localizado na parte posterior do céu da boca.

Aftas são feridas não contagiosas.
Eles são muito comuns na população em geral.

Aftas se curam sem tratamento. Podem, no entanto, reaparecer no mesmo local ou em um local diferente.

Existem três formas de aftas, conhecidas clinicamente como estomatite aftosa:

  • Estomatite aftosa menor: são feridas com menos de 1 centímetro de diâmetro. Se curam em cerca de 1 semana, sem deixar cicatrizes;
  • Estomatite aftosa maior: são feridas com mais de 1 centímetro de diâmetro. São lesões que podem durar mais de algumas semanas e podem deixar cicatrizes;
  • Estomatite aftosa herpetiforme: é o tipo menos comum. São grupos de pequenas feridas que às vezes se fundem para formar as maiores. São lesões que geralmente levam um pouco mais de uma semana para curar.

Os sintomas de uma afta seguem um padrão de três etapas:

  • Primeiro, o indivíduo pode sentir uma sensação de queimação, coceira ou picada em um local na boca, ou ao redor dela;
  • Segundo, uma bolha cheia de líquido, a ferida, se desenvolve no local;
  • Terceiro, a bolha estoura, transborda e se espalha. Isso tudo dentro de 48 horas, após as sensações iniciais de alerta.

afta ou herpes

Herpes

Durante a infância, a maioria das pessoas desenvolve uma infecção pelo vírus herpes simplex responsável pelo herpes labial.

Algumas pessoas nunca apresentam sintomas.
Se os sintomas ocorrerem logo após a infecção inicial, durante a infância, eles podem manifestar:

  • Uma sensação de queimação e, em seguida, a formação de feridas dolorosas. Feridas nos lábios, gengivas, língua ou garganta;
  • Dor de garganta;
  • Dor ao engolir;
  • Gânglios linfáticos inchados (inflamados);
  • Febre;
  • Dor;
  • Dor de cabeça;
  • Náusea.

Alguns desses sintomas podem durar mais de 1 semana.

O herpes labial pode reaparecer e os surtos geralmente se tornam menos graves ao longo do tempo.

Em pessoas saudáveis, o herpes labial geralmente desaparece dentro de 5 a 15 dias, sem causar cicatrizes. Se uma lesão de herpes durar mais de 15 dias, a pessoa deve buscar atenção profissional.

Além disso, qualquer indivíduo com lesão de herpes próxima aos olhos deve consultar um médico imediatamente.

As feridas do herpes são contagiosas.
É importante lavar bem as mãos e regularmente para evitar que elas se espalhem.

Causas

Compreender as causas subjacentes também pode ajudar na diferenciação entre essas duas categorias de lesões.

Aftas

Embora a causa exata das aftas ainda seja um mistério, a Academia Americana de Medicina Oral, explica que elas podem resultar da disfunção do sistema imunológico no revestimento dos tecidos moles da boca.

Aftas são feridas que podem se formar também como uma reação alérgica a alimentos, creme dental ou enxaguatório bucal.

Além disso, aftas podem ser um sinal de uma doença gastrointestinal.
Por esse motivo, o médico pode recomendar uma cultura ou biópsia para fins de averiguação.

Um indivíduo que tenha aftas e algum dos seguintes sintomas, deve consultar um profissional:

  • Fadiga;
  • Dor abdominal;
  • Febre;
  • Desconforto ocular;
  • Erupções cutâneas ou feridas em outros lugares.

Além disso, é importante notificar seu dentista caso mais de três surtos de aftas ocorrerem a cada mês ou quaisquer aftas não desapareçam num prazo de 10 a 14 dias.

Herpes

Uma das formas de manifestação do vírus herpes simplex é causar o herpes labial.
Uma vez que o vírus entra no corpo humano, ele nunca sai. Ou seja, ele até hoje não se conseguiu eliminá-lo do organismo. Na maior parte do tempo permanece latente.

Pessoas com herpes labial podem espalhar a infecção através de:

  • Beijos;
  • Compartilhamento de objetos (copos, talheres, etc);
  • Compartilhamento de itens pessoais, como toalhas.

Surtos de herpes podem ser desencadeados por:

  • Estresse;
  • Fadiga;
  • Doença, como um resfriado;
  • Lesão gerada em áreas onde uma vez apareceram feridas;
  • Queimaduras solares ou apenas exposição a luz solar forte;
  • Alterações hormonais.

Tratamentos

Herpes e aftas respondem a diferentes tratamentos.

Aftas

Embora não haja cura para as aftas, alguns medicamentos vendidos sem receita ou com receita médica podem fazer com que as feridas se recuperem mais rapidamente e apareçam com menos frequência.

Os tratamentos para aftas se enquadram em algumas categorias:

  • Agentes de limpeza: limpam bactérias e detritos da superfície da lesão. Um exemplo é uma solução de peróxido de hidrogênio a 3% misturada com uma quantidade igual de água.
  • Anestésicos tópicos: reduzem a dor. O anestésico mais comum para esse fim é a benzocaína, embora algumas pessoas sejam alérgicas a ele.

Às vezes, um ingrediente da pasta de dentes, chamado laurilsulfato de sódio pode desencadear surtos de aftas. Algumas pessoas podem se beneficiar ao evitar cremes dentais que o contenham.

Se as feridas forem moderadas a graves, evite a automedicação e consulte um dentista ou médico.

Herpes

Dependendo da gravidade do surto de herpes, o dentista ou médico pode prescrever medicamentos antivirais tópicos, ou de uso oral:

  • Aciclovir ou penciclovir tópico;
  • Aciclovir, fanciclovir ou valaciclovir de uso oral.

Algumas pessoas podem precisar de medicamentos para alívio da dor local, com ação anestésica tópica.

Para evitar que o herpes labial piore, a pessoa deve aplicar protetor labial com fator de proteção solar (FPS) igual ou superior a 30.

O não tratamento do herpes labial, pode desencadear uma piora do quadro. Isso pode trazer consequências para os indivíduos afetados.

Prevenção

Nem sempre é possível impedir a formação de lesões de aftas ou herpes.
No entanto, algumas estratégias podem ajudar.

Aftas

É importante registrar o aparecimento de aftas num diário.

Isso pode ajudar o indivíduo afetado a detectar gatilhos, que podem envolver alimentos, categorias de creme dental ou enxaguatório bucal e fatores associados ao estilo de vida.

Herpes

Para evitar que as feridas apareçam, os médicos recomendam o uso de tratamento antiviral ao primeiro sinal de alerta. Esse sinal pode ser uma sensação de queimação ou ardência.

Pessoas com herpes labial geralmente podem se beneficiar de um creme prescrito à base de penciclovir. Sua aplicação ajuda a reduzir o tempo e a quantidade de feridas que aparecem na pele.

Outras condições

Outros problemas de saúde podem causar lesões que podem parecer aftas ou herpes. Dentre eles:

  • Certas categorias de bolhas;
  • Lesões diversas;
  • Doenças autoimunes;
  • Câncer oral;

Qualquer pessoa que não tenha certeza sobre o tipo ou causa de uma lesão na boca, ou ao seu redor deve conversar com seu dentista, ou médico.

Afta ou herpes – em resumo

Afta ou herpes são feridas comuns e podem ser parecidas.
No entanto, suas causas, sintomas e tratamentos são diferentes.

As aftas geralmente ocorrem em áreas moles dentro da boca. Embora as lesões do herpes também possam aparecer na língua, garganta ou gengivas, elas tendem a se formar na boca ou ao redor dela.

O vírus do herpes simplex é o causador do herpes labial. Porém, a ciência ainda não tem exata clareza sobre os causadores das aftas.

E por fim, o herpes labial requer tratamento para evitar que a infecção se espalhe. Por outro lado, as aftas geralmente desaparecem por conta própria. Seja afta ou herpes, identificar a causa da lesão já é meio caminho andado para a resolução do problema.

Siga a Dentalis no Instagram@DentalisSoftware,  no Face@Dentalis.Software e no Twitter@Dentalisnet

Fontes: American Academy of Oral Medicine, Everyday Health, American Academy of Dermatology, DermNet NZ

 

Posted by Victor, 0 comments
Pérolas de Epstein do recém-nascido: causas, sintomas e tratamento

Pérolas de Epstein do recém-nascido: causas, sintomas e tratamento

pérolas de Epstein
As pérolas de Epstein são cistos brancos ou amarelados que se podem formar nas gengivas e palato dos recém-nascidos, semelhantes a dentes que estão para nascer.
As pérolas de Epstein são inofensivas e se formam na boca do recém-nascido durante as primeiras semanas e meses de desenvolvimento.

Os cistos contêm queratina, uma proteína que ocorre naturalmente na pele, cabelos e unhas humanas.

As pérolas de Epstein desaparecem por si próprias poucas semanas após o nascimento do bebê. Não são motivo de preocupação.

Neste artigo, analisamos os sintomas, causas e tratamento das pérolas de Epstein.

Pérolas de Epstein – Sintomas

As pérolas de Epstein têm geralmente menos de 3 milímetros de diâmetro.

Os cistos podem ser notados quando um bebê abre a boca para chorar ou bocejar.
No entanto, eles não causam desconforto ao bebê e não devem interferir na alimentação.

Às vezes, as pessoas podem confundir as pérolas de Epstein com os grãos de milium.
A principal diferença é a sua localização. As pérolas de Epstein aparecem apenas no céu da boca e gengivas.

O milium é um tipo de nódulo branco que costuma aparecer no rosto do bebê.
São bastante comuns.
São caracterizados por bolinhas brancas ou amareladas que aparecem perto dos olhos, no nariz e na boca do bebê.

Pérolas de Epstein – Causas

Essas formações são bastante comuns. Ocorrem em até 60% a 85% de todos os recém-nascidos.
Especialistas acreditam que elas se desenvolvam durante a a gestação quando acontece a formação do céu da boca do bebê.

As pérolas de Epstein não ocorrem como resultado de algo que a mulher fez durante a gravidez. Elas também não representam um sinal de que algo está errado com o bebê.

Não há como impedir as pérolas de Epstein.

As pérolas de Epstein não ocorrem em crianças mais velhas ou adultos porque são resultado do desenvolvimento fetal.

Pérolas de Epstein – Tratamento

As pérolas de Epstein não requerem tratamento.
Na maioria dos casos, elas desaparecem lenta a espontaneamente dentro de algumas semanas.

Quando a consulta com o pediatra é aconselhável

Os responsáveis pelo bebê podem procurar um pediatra no caso de preocupações com inflamações na boca do recém-nascido.
Isso para o caso de diferenciá-las de outras condições de saúde.

Em caso de dúvida, a consulta com um pediatra é altamente recomendável.

Isso porque algumas condições e sinais outros podem se assemelhar às pérolas.

1. Candidíase oral

Em alguns casos, manchas brancas na boca de um bebê podem ser um sinal de candidíase.
A candidíase oral é uma patologia causada pelo fungo cândida.

A candidíase oral pode causar manchas brancas ou inchaços na boca. Inclusive no interior das bochechas e da língua.
Às vezes, pode provocar algum desconforto ou dificuldade em se alimentar. Geralmente não é grave.

A candidíase oral é tratada com medicamentos antifúngicos.
É importante que o tratamento seja iniciado. Isso porque a infecção pode se espalhar para o seio da mulher, caso ela esteja amamentando.
Se isso ocorrer, pode causar rachaduras nos mamilos e deixar os seios doloridos.

2. Dentes natais

As pérolas de Epstein podem ser confundidas com dentes natais, caso apareçam nas gengivas.
Embora os recém-nascidos possam ter dentes, isso é raro.
Ocorre em apenas 1 em cada 800 a 6.000 bebês.

Se um bebê nascer com um ou mais dentes, os pais ou responsáveis devem discutir isso com um pediatra.
Às vezes, os dentes estão soltos ou interferem na alimentação.
Nesses casos, o médico pode recomendar sua remoção.

3. Outros problemas

Um bebê muito queixoso pode ser um sinal de problemas outros e mais sérios. Especialmente se a criança não estiver conseguindo se alimentar direito. Embora as pérolas de Epstein não causem nenhum desses problemas, ainda é melhor descartar outras possíveis condições de saúde.
Nesse caso, é uma boa ideia consultar um pediatra.

Concluindo

Muitos pais e cuidadores ficam preocupados quando veem as pérolas de Epstein na boca de um bebê.
No entanto, são indolores, não prejudiciais ao bebê e desaparecem por conta própria.

Se o bebê parece estar tendo problemas para se alimentar ou não estiver bem, os pais ou responsáveis devem procurar um pediatra para descartar outros problemas de saúde.

Fontes: NCBI, Era’s Journal, Europe PMC
Posted by Victor in Dicas, 1 comment