discussão

Tratamentos com flúor: tudo o que você precisa saber

Tratamentos com flúor: tudo o que você precisa saber

tratamentos com flúor

Tratamentos com flúor são uma realidade na odontologia dos dias atuais.

O flúor na forma de fluoreto é um mineral natural e base de dentes fortes e importante na prevenção das cáries.

Por mais de 70 anos, a maior parte da água potável nos Estados Unidos continha pequenas quantidades de flúor para reduzir a cárie dentária.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) assegura que a água fluoretada reduziu a cárie dentária em cerca de 25% naquele país.
Outro estudo aponta elevação da incidência de cáries em condições em que a água potável não recebia adição de flúor.

Os tratamentos com flúor podem oferecer benefícios ainda mais significativos para proteção dos dentes.

Esses tratamentos podem ser benéficos para pessoas em risco de cárie dentária, mas podem não ser adequados para todos.

Neste artigo, analisamos os benefícios e efeitos colaterais do fluoreto e dos tratamentos com flúor, bem como recomendações de tratamento.

O que são os tratamentos com flúor

Os tratamentos com flúor são tipicamente tratamentos profissionais. Eles contêm uma alta concentração de flúor que o dentista aplica nos dentes do paciente. O objetivo é a melhoraria da saúde bucal e a redução do risco de cáries dentárias.

Esses tratamentos com flúor em consultório podem assumir a forma de uma solução, gel, espuma ou verniz.

Existem também alguns tratamentos com flúor de alta concentração que as pessoas podem realizar em casa, mas somente sob orientação de um dentista.

Esses tratamentos são semelhantes ao flúor presente na pasta de dente. No entanto, o tratamento contém doses muito mais altas e pode oferecer benefícios mais rápidos.

Benefícios dos tratamentos com flúor

  •  Auxilia o corpo a usar melhor minerais, como cálcio e fosfato. Os dentes reabsorvem esses minerais para reparar o esmalte dentário fraco;
  •  Ele se junta à estrutura dentária quando os dentes se desenvolvem para fortalecer o esmalte dos dentes, tornando-os menos vulneráveis a bactérias e cáries;
  •  Retarda ou até reverte o desenvolvimento de cáries. Retarda o crescimento de bactérias que causam cáries.

A ingestão na água potável combinada com os tratamentos com flúor proporcionam os benefícios:

  •  redução do risco de cáries dentárias;
  •  retarda o crescimento de cáries;
  • diminui a necessidade de tratamento odontológicos caros;
  • prolonga o tempo de vida útil dos dentes de leite da criança;
  • reduz os gastos financeiros do paciente com procedimentos odontológicos.

Ao prevenir cáries e retardar o crescimento de bactérias, o tratamento com flúor também pode:

  • previne doenças gengivais;
  • reduz a incidência de dor de dente;
  • previne a perda prematura de dentes.

Os tratamentos com flúor podem melhorar a saúde bucal. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) , é um dos principais preditores da saúde geral.

Uma saúde bucal ruim pode causar uma série de outras condições de saúde, incluindo doenças cardiovasculares.

Efeitos colaterais do flúor

Alguns defensores da saúde natural expressaram preocupação com o flúor em altas doses. Eles também argumentam que o fluoreto não é seguro para crianças e até mesmo que a água fluoretada pode ser perigosa.

No entanto, é um mito que os tratamentos com fluoreto ou a água fluoretada causem danos generalizados.

Algumas pessoas, no entanto, podem experimentar alguns efeitos colaterais, como:

Descoloração dos dentes e o risco de fluorose

O efeito colateral mais comum do flúor é a descoloração dos dentes.

A fluorose é uma condição que causa estrias brancas ou outro tipo de descoloração nos dentes.
A fluorose ocorre quando uma criança ingere muito flúor enquanto os dentes do bebê e do adulto se desenvolvem sob a gengiva.
Uma criança pode desenvolver fluorose desde o nascimento até os 8 anos de idade.

A descoloração é mais comum em crianças pequenas que consomem muito flúor. Isso porque ingerem suplementos de flúor ou engolem creme dental.

O Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos estabeleceu diretrizes para a quantidade de flúor que a água potável deve conter. Isso para ajudar a prevenir a cárie dentária e minimizar o risco de fluorose dentária.
Atualmente, esse nível é de 0,7 miligramas de fluoreto por litro (mg/l) de água.

A Academia Americana de Odontopediatria (AAPD) recomenda que os pais ou responsáveis usem uma quantidade minúscula de creme dental fluoretado assim que o primeiro dente da criança entrar em erupção. Isso auxilia na proteção dos dentes da criança evitando cáries. E não os coloca em risco de fluorose se a criança acidentalmente vier a engolir o creme dental.

Alergias ou irritação

Reações do tipo alérgica ao flúor ou irritação na pele são possíveis, mas bem raras.

Efeitos tóxicos

O fluoreto pode ser tóxico se uma pessoa o aplicar incorretamente ou em doses muito altas. No entanto, isso é incomum. A American Dental Association (ADA) recomenda o uso de verniz fluoretado profissional em crianças menores de 6 anos. O verniz fluoretado é a opção preferida para crianças pequenas, pois elas tendem a engolir espumas ou géis, o que pode causar náusea e vômito.

Tratamentos com flúor – Recomendações

O CDC e a ADA recomendam que a exposição frequente a pequenas quantidades de flúor todos os dias seja a melhor opção para reduzir o risco de cáries dentárias para todas as idades.

Para a maioria das pessoas, isso significa beber água potável com níveis ideais de flúor e escovar os dentes ao menos duas vezes ao dia com creme dental fluoretado.

Para crianças e adultos que podem estar em maior risco de cáries, os tratamentos com flúor podem proporcionar benefícios extras.

Crianças

A cárie dentária é a doença crônica infantil mais comum. É até cinco vezes mais comum que a asma.

A Academia Americana de Pediatria (AAP) recomenda o tratamento com flúor para todas as crianças assim que seus dentes começam a crescer para evitar cáries, dores e futuras infecções dentárias.

Os dentistas devem repetir o tratamento com flúor a cada 3 a 6 meses, dependendo do risco de cárie em uma criança.

Para reduzir o risco de superexposição ao flúor, recomenda-se também o seguinte:

  • Os cuidadores devem escovar os dentes das crianças com uma pequena quantidade de creme dental com flúor para reduzir a cárie e minimizar o risco de fluorose.

Para crianças menores de 3 anos de idade, não use mais do que uma quantidade de pasta de dente fluoretada com o tamanho aproximado de um grão de arroz.

Para crianças de 3 a 6 anos, use uma quantidade de creme dental com flúor do tamanho de uma ervilha;

  •  Supervisione sempre a escovação de uma criança para garantir que ela use a quantidade certa de pasta de dente. Tente fazê-la, sempre que possível, cuspir todo o creme dental utilizado.
  • Crianças menores de 6 anos de idade não devem fazer uso de soluções com flúor em casa, como enxaguatórios bucais, pois podem acabar engolindo muito flúor.

Adultos

As recomendações de fluoreto para adultos variam.

Estudos diferentes investigaram uma variedade de concentrações, doses e frequências de tratamento.

Se uma pessoa corre um risco moderado a alto de desenvolver cáries, o tratamento profissional com flúor pode ajudar.

Os especialistas recomendam que as pessoas com alto risco de cáries recebam tratamentos profissionais com flúor duas vezes por ano.

As pessoas devem discutir os riscos e benefícios do tratamento com flúor com seus dentistas.

É essencial considerar todas as fontes de flúor, incluindo creme dental fluoretado e enxaguatórios bucais.

Pessoas que vivem em áreas onde a água não contém flúor podem obter benefícios mais significativos com tratamentos regulares de flúor.

Qual a eficácia dos tratamentos com flúor?

Um grande número de evidências de ensaios clínicos randomizados, que são o padrão ouro de estudos científicos, estabeleceu os benefícios dos tratamentos tópicos com flúor para prevenção da cárie.

Uma revisão sistemática relata que tratamentos com flúor, como verniz fluoretado, têm um efeito substancial na prevenção de cáries nos dentes decíduos (dentes de leite) e permanentes.

Resumindo

Os tratamentos com flúor são seguros para a maioria das pessoas.

Mesmo quando existem efeitos colaterais, esses efeitos geralmente são mínimos comparados aos benefícios.

É provável que a maioria dos danos advenha da ingestão de quantidades muito altas de flúor.

Isso não significa que todos os tratamentos com flúor sejam seguros para todas as pessoas o tempo todo.

Pessoas com cáries ou com risco de cáries devem discutir suas preocupações com um dentista em quem confiam.

Fonte: MedicalNewsToday
Posted by Victor in Dicas, 0 comments
Raspador de língua elimina o mau hálito?

Raspador de língua elimina o mau hálito?

mau hálito

O mau hálito é uma das maiores queixas das pessoas que vão ao dentista.
A raspagem da língua é um método de limpeza que faz uso de um dispositivo especial ou uma escova de dentes.

Muitos acreditam que o uso de um raspador de língua pode melhorar a higiene bucal e reduzir o risco de mau hálito.

Saiba mais agora sobre raspagem da língua e seus benefícios de acordo com dados de pesquisa recentes.
Também descubra como executar essa raspagem e outras dicas para combater o mau hálito.

Raspagem da língua pode eliminar o mau hálito?

A principal razão pela opção pela raspagem da língua através de um um raspador é a de combater ou prevenir o mau hálito. A raspagem da língua visa remover substâncias causadoras de odor chamadas compostos voláteis de enxofre.

Existem evidências de que a raspagem da língua pode ajudar a melhorar a higiene bucal.
Porém, nem todos os trabalhos de pesquisa concordam. Ou seja, ainda não existe um consenso entre os pesquisadores.

Sobre o tema da raspagem da língua e o combate ao mau hálito, podemos citar os seguintes artigos:

– Uma análise de 2018 de quatro ensaios clínicos sobre raspagem da língua descobriu que melhorou a pontuação do índice de revestimento da língua. Porém, não afetou significativamente os chamados compostos de enxofre e o mau hálito.

– Uma revisão da Cochrane de 2019 revisou estudos sobre medidas para reduzir o mau hálito.
Esses incluíram dois estudos que analisaram o efeito da raspagem da língua no mau hálito.

Os estudos mostraram uma pequena melhora no mau hálito e na diminuição dos compostos de enxofre ao longo de algumas semanas.

No entanto, os autores concluíram que a evidência era “muito incerta” devido ao pequeno número de participantes do estudo.

Uma revisão anterior da Cochrane encontrou “evidências fracas e não confiáveis” para mostrar que raspadores de língua são mais eficazes do que escovas de dentes na redução de compostos de enxofre e na melhora do mau hálito.

Quer saber mais sobre a Cochrane? Clique aqui para esclarecer suas dúvidas.

A raspagem da língua pode aliviar o mau hálito em alguma extensão. Além disso, também pode ser utilizada para reduzir bactérias potencialmente nocivas na boca que podem causar cáries, gengivite ou úlceras.

Outros estudos

Um estudo de 2017 descobriu que, em pessoas com periodontite, a limpeza da língua com um raspador ou uma escova de dentes por 2 semanas não reduziu o número de bactérias na saliva e no revestimento da língua.

Também não influenciou as sensações do paladar ou o odor da respiração da pessoa.
No entanto, os participantes relataram que sua língua parecia mais limpa ao final do estudo.

Um estudo em pequena escala de 2007, envolvendo 30 pessoas, fez uma descoberta interessante.

Verificou-se que o uso de uma escova de dentes para limpar a língua reduzia a quantidade de levedura de Candida na boca. Porém, o uso de um raspador de língua de plástico ou metal era ineficaz.

A maioria dos estudos ou revisões sobre esse tema trabalhou com amostras pequenas.

Isso não permite se tirar conclusões firmes sobre a raspagem da língua e seus benefícios.

mau hálito

Raspagem da língua – um passo-a-passo

A raspagem da língua é relativamente fácil de executar e requer equipamento mínimo.

Uma pessoa pode usar um raspador de língua específico ou uma escova de dentes.

Raspadores de língua estão disponíveis em metal ou plástico.

Eles têm a forma de uma colher ou um dispositivo de metal em forma de U com duas alças.

Etapas para a raspagem da língua:

  • A primeira coisa a fazer é utilizar o fio dental e escovar os dentes. Depois abra bem a boca e coloque o raspador de língua no ponto mais acessível na parte de trás da língua;
  • Aplique pressão suave e puxe o raspador para frente em direção à ponta da língua. O raspador não deve doer;
  • Lave o raspador com água morna após a primeira passagem;
  • Repita o processo de raspagem conforme necessário;
  • Enxague a boca com água e despreze;
  • Lave bem o raspador de língua com sabão e água morna. Armazene o raspador de língua em um local limpo e seco.

Pode-se repetir esse processo ao longo do dia. Isso à medida em que se observe a presença de compostos de enxofre que são um indicativo da presença de bactérias.

Possíveis riscos e efeitos colaterais

A raspagem da língua é um procedimento indolor e de baixo risco. Se a raspagem da língua causar dor ou sangramento, a pessoa deve parar de usar o raspador.

Ele pode estar sendo utilizado com muita força. Ou podem haver arestas desiguais no raspador que podem estar ferindo a língua.

É importante evitar colocar o raspador muito atrás na língua, pois isso pode ativar o reflexo de vômito.

Atenção se o uso continuado do raspador fizer a pessoa perceber que seus sintomas pioram ou que sua língua fica inchada ou dolorida. Nesse caso, recomenda-se conversar com seu dentista.

O dentista pode ajudar o paciente a determinar se existe uma condição subjacente que possa estar causando o mau hálito ou a língua estar com uma aparência anormal.

Dicas para uma boca saudável

A raspagem da língua não deve ser nunca o único procedimento que uma pessoa tenha no cuidado com a sua saúde bucal.
Juntamente com o uso do fio dental e a escovação irão ajuda a reduzir o risco de problemas nos dentes e nas gengivas.

Cuidados essenciais

  • Escovar os dentes com um creme dental com flúor e usar o fio dental sempre após cada refeição;
  • Durante a escovação e se valendo do creme dental pode-se fazer uma rápida escovação da língua;
  • Limitar a ingestão de bebidas e lanches com alto teor de açúcar. Esses alimentos favorecem o crescimento de bactérias causadoras de cáries nos dentes.
  • Consultar um dentista pelo menos duas vezes por ano. Ou mais frequentemente, se necessário, para realizar uma limpeza profissional e avaliar a necessidade de um tratamento.

A maioria das pessoas que segue essas dicas não precisará fazer uso de um raspador de língua.
No entanto, algumas pessoas entendem que um raspador de língua possa fazer sua boca parecer fisicamente mais limpa.

Concluindo

A raspagem da língua é um método que algumas pessoas usam para reduzir o mau hálito e melhorar sua higiene bucal.

Mau hálito é uma preocupação muito comum. Já publicamos aqui no blog um artigo trazendo a notícia de um sensor de mau hálito.

Uma variedade de raspadores de língua está disponível no mercado.
Pequenos estudos de pesquisa produziram resultados mistos sobre se raspar a língua pode ajudar a oferecer esses benefícios.

No entanto, como a raspagem da língua tem poucos efeitos colaterais, as pessoas podem adotar essa prática como medida complementar de higiene bucal.

Posted by Victor in Dicas, Estudos, 0 comments
Saiba tudo sobre pontes dentais

Saiba tudo sobre pontes dentais

pontes dentais

Pontes dentais substituem um ou mais dentes perdidos ou quebrados por dentes falsos.
As pontes dentais usam um ou mais dentes reais em ambos os lados da fenda para manter os dentes falsos no lugar. As pontes podem ser fixas, o que significa que são permanentes ou removíveis, o que significa que uma pessoa pode removê-los. O chamado dente falso funciona como uma espécie de ponte. Alguns profissionais se referem a uma ponte como uma “prótese parcial fixa“.

O que são pontes dentais?

Uma ponte dental pode substituir um dente ou vários dentes. Os dentes falsos nas pontes dentárias parecem e funcionam como dentes reais.

Para obtenção de uma ponte, um paciente pode consultar um periodontista ou mesmo o seu dentista de confiança. Importante é saber que existem diferentes possibilidades quando a necessidade for de preencher uma lacuna em um sorriso.

Uma opção é ter uma coroa – um dente falso preso a uma pequena porção de dente real que o dentista retificou.

Quando uma pessoa perdeu um dente ou o dentista teve que removê-lo a situação muda. Nesse caso, uma coroa sozinha não é uma opção e uma ponte dental pode ser a melhor escolha.

O termo “ponte” refere-se a uma estrutura que contém um ou mais dentes falsos. A estrutura geralmente é ancorada no lugar com uma ou mais coroas em ambos os lados do espaço na boca. Por exemplo, se uma pessoa perde vários dentes da frente, devido a lesão ou cárie, o dentista poderá usar uma ponte para preencher a lacuna.

Seja por uma questão funcional ou puramente estética, a ponte cumpre uma função muito importante na odontologia.
Quando um paciente, por exemplo, perde um dente irá necessitar de uma ponte para garantir uma mastigação adequada dos alimentos. Ou por questões estéticas, a ponte poderá preencher um espaço vazio existente na arcada dentária do paciente.

Para algumas pessoas, um implante dental permanente é uma alternativa a uma ponte.
Os implantes dentais são dentes falsos que os dentistas inserem cirurgicamente no osso da arcada dentária.

Em alguns casos, os dentistas recomendam implantes para ajudar a proteger uma ponte, principalmente se faltarem muitos dentes.

Pontes dentais – Usos

Pontes dentais podem ajudar um paciente a se sentir mais confortável com seu sorriso.
Também pode permitir que eles mastiguem normalmente. Quando uma pessoa perde um ou mais dentes, pode afetar sua mordida, causando dor ou dificuldade em comer. A substituição desses dentes evita essas complicações.

Quando um paciente pode precisar de uma ponte dental?

  • Um dente está tão cariado que cai ou um dentista o remove;
  • Um acidente ou lesão causa dano a um dente impossibilitando seu reparo;
  • No caso de cáries ou infecções graves afetando um ou mais dentes tornando inviáveis nem mesmo um tratamento de canal.

pontes dentais

Tipos de pontes dentais

  • Ponte tradicional: envolve duas coroas – às vezes chamadas de pilares – ancorando o (s) dente (s) falso (s). Este é o tipo de ponte mais popular e pode ser removível.
  • Ponte cantiléver: requer apenas uma coroa para suporte. Isso envolve um procedimento menos intensivo e pode ser uma boa opção para pessoas que não desejam danificar dentes saudáveis. No entanto, a coroa única pode atuar como uma alavanca, aumentando o risco de danos nos dentes e na mandíbula;
  • Ponte Maryland: é mais conservadora e menos invasiva do que as pontes tradicionais ou cantiléver. A ponte é ancorada por estruturas de metal ou porcelana presas às costas dos dentes em ambos os lados da lacuna. Essas pontes podem preservar dentes saudáveis, mas são menos seguras.
  • Pontes suportadas por implantes: usam implantes dentários como âncoras. Este tipo de ponte é mais caro e invasivo, mas mais segura.

Resultados

O procedimento específico depende do tipo de ponte escolhida.

Quando o paciente opta por uma ponte tradicional, o processo começa preparando os dentes dos dois lados da lacuna. O dentista irá tratar esses dentes, removendo qualquer cárie eventualmente presente.
Em seguida, ele irá preparar um molde de para possibilitar a confecção da ponte dental.

O dentista colocará uma ponte temporária nos dentes danificados para protegê-los. As pontes temporárias incluem estruturas que parecem dentes reais, mas não são permanentes. Dessa forma será fundamental retornar ao dentista dentro de algumas semanas.

Quando a ponte real estiver pronta, o dentista removerá as estruturas temporárias e irá afixar a ponte usando o adesivo adequado.

O processo é semelhante às pontes de cantiléver, embora apenas um dente precise de uma coroa. Uma ponte de Maryland requer menos preparação, pois não há coroas envolvidas. Ambas as pontes também exigem pelo menos duas consultas odontológicas.

Quando uma pessoa tem implantes para apoiar uma ponte, o processo geralmente começa com a cirurgia do implante. Posteriormente, o dentista irá obter um molde para confecção de uma ponte que se encaixe perfeitamente nos implantes.

Recuperação

A boca de um paciente pode ficar sensível e dolorida após a realização pelo dentista do desgaste das estruturas dentais. Também pode sentir dor após a colocação da ponte. As gengivas podem ficar inflamadas e sangrar. Para a maioria das pessoas, essa dor desaparece após alguns dias. No entanto, as gengivas podem precisar de algumas semanas para se recuperarem totalmente do procedimento.

Após o procedimento, o paciente poderá retornar a sua rotina de trabalho ou escola assim que se sentir bem o suficiente. Geralmente isso acontece em no máximo um dia após a consulta.
Pacientes que optem pela sedação durante a colocação da ponte não devem dirigir após o procedimento.

Cuidados com a ponte dental

  • Manter bons hábitos de higiene dental para evitar o aparecimento de cáries;
  • Consultar seu dentista duas vezes por ano para que ele possa verificar a ponte e fazer profilaxia dos dentes;
  • O paciente deve procurar se esclarecer com o dentista sobre cuidados que deve ter com certos tipos de alimentos.

Pontes dentais – Complicações

  • Falha na ponte: A ponte pode quebrar ou deslizar para fora do lugar. O paciente pode precisar de outra ponte, implantes ou outros procedimentos odontológicos;
  • Dor ou problemas de mastigação: Alguns pacientes lutam para se adaptar à mastigação com uma ponte. Isso se verifica especialmente nas semanas após o procedimento. Se a mordida não parecer correta, o paciente deverá retornar ao dentista para ajustes;
  • Infecção: Alguns pacientes desenvolvem infecções após o tratamento. Isso é mais comum dentre aqueles com cáries ou doença gengival;
  • Cárie dentária: É possível que um dente continue a se deteriorar sob a coroa que ancora a ponte. Isso é mais comum em pessoas com doenças gengivais graves ou cáries muito graves nos dentes que precisam de coroas.

Para evitar a cárie dental ao redor de uma ponte, é fundamental ter uma rotina de cuidados em casa. Isso quer dizer boa escovação e uso do fio dental.
Alguns tipos de fio dental são projetados para uso em pontes.

Buscar um profissional experiente e seguir cuidadosamente as instruções de cuidados posteriores pode reduzir o risco de complicações graves.

Concluindo

A falta de dentes pode afetar a aparência de uma pessoa. E também a capacidade de comer certos alimentos bem como a qualidade de vida.
As pontes dentais podem restaurar tanto a mordida como o sorriso.
Todas as próteses dentárias apresentam riscos e benefícios.
O importante é discutir esses aspectos e ver as diferentes alternativas com seu dentista antes da escolha por esse ou aquele procedimento.

Fontes: MedicalNewsToday, Lotus Dental Travel
Posted by Victor in Dicas, 0 comments