importância crescente

Qual a relação entre a menopausa e hipertensão?

menopausa e hipertensão

A perda dentária pode ser o sinal de alerta clínico para a possibilidade do desenvolvimento de hipertensão arterial entre as mulheres após a menopausa.

É o que um estudo publicado no American Journal of Hypertension  sugere pelos resultados apresentados.

O estudo em questão tem o título de “Association of Periodontal Disease and Edentulism With Hypertension Risk in Postmenopausal Women” (Associação da Doença Periodontal e Edentulismo com o Risco de Hipertensão em Mulheres Pós-menopáusicas). É uma pesquisa que envolveu 36.692 mulheres do Women’s Health Initiative-Observational Study , EUA.

O estudo estabelece uma relação direta entre a perda de dentes e o aumento da hipertensão em mulheres pós-menopausa. E com um risco acrescido de 20% , e principalmente em idades mais jovens e com menor Índice da Massa Corporal (IMC).

Sinal de alerta – chegada da menopausa e hipertensão

Com a perda de dentes, as pessoas tendem a ingerir alimentos mais macios e processados. Estas mudanças nos padrões alimentares por si só já podem ser associadas a um maior risco de pressão alta o que explicaria a relação menopausa e hipertensão. A perda de peças dentárias pode assim servir como uma espécie de sinal clínico de alerta para o aumento do risco de hipertensão.

Para quebrar essa triste relação entre menopausa e hipertensão, algumas medidas simples podem ser implementadas. A começar pela melhora da higiene bucal, prática regular de atividade física, adoção de uma dieta mais saudável, perda de peso corporal e monitorização frequente da pressão arterial.

São vários os estudos que apontam para uma relação direta entre a hipertensão e saúde bucal. Um estudo de 2014 do American College of Cardiology – pesquisou a influência da doença periodontal na pressão arterial em pacientes hipertensos já noticiada aqui no blog Dentalis.

Os resultados demonstraram que a pressão arterial era mais elevada em pacientes sujeitos a tratamento para a hipertensão com periodontite do que em pacientes não sujeitos a qualquer tratamento. Quanto maior a severidade da periodontite, maior a resistência à resposta no tratamento da hipertensão.

Hipertensão e outros males

Além da pressão alta, a perda de dentes está associada a um risco maior de doenças cardiovasculares, AVC e demência.
A relação entre menopausa e hipertensão predispõe também a outros problemas de saúde.
Isso porque a perda de dentes gera consequências. Os alimentos acabam sendo mastigados de forma incompleta e irão causar problemas no estômago. Isso pode ser causa do aparecimento de gastrite e refluxo gastroesofágico numa etapa posterior.
A nível nutricional poderá gerar prejuízos na absorção de nutrientes, e por consequência no metabolismo geral do paciente.

Impacto negativo sobre a estética e o bem estar psicológico

Importante também destacar o impacto que a perda dental poderá ter sobre o componente estético. Como a depressão dos lábios e da região perioral, alterações na fala e de dicção. Isso poderá fazer com que os pacientes sintam inibição em falar, gerando o isolamento social. E como sabemos, o isolamento social, é um dos gatilhos de grande parte dos casos de depressão.

menopausa e hipertensão

A importância crescente da Odontologia

A relação entre menopausa e hipertensão é preocupante. A conexão entre perda dentária e hipertensão é um novo elemento neste mosaico de problemas.
Problemas esses muitas vezes ignorados pela classe médica que, apesar de alertada pelos dentistas, não leva em conta a relevância que uma boa saúde bucal tem para a saúde geral do paciente.
A relação entre problemas de saúde bucal e patologias diversas tem sido a cada dia mais comprovada por diversos estudos.

Observa-se cada vez mais pacientes polimedicados para múltiplas e diversas doenças.

Especialmente em casos assim seria importante a criação de equipes multidisciplinares. O dentista tem um papel fundamental na prevenção e tratamento.

Doenças oncológicas e sistêmicas, problemas cardiovasculares e outros mais têm uma relação direta com o estado da saúde bucal do paciente.

Em muitos casos um tratamento odontológico prévio deveria ser iniciado antes mesmo do tratamento específico de outras patologias.
A relação menopausa e hipertensão é apenas mais uma peça neste quadro cada vez mais complexo ligando a saúde bucal e seus reflexos sobre a saúde do corpo.
O compartilhamento de informações entre médicos e dentistas se mostra fundamental para o sucesso do tratamento. E deveria, assim, ser mais efetiva. Importante também que sejam criados programas de saúde pública adequados para mulheres na menopausa e pós-menopausa.

Riscos associados à saúde bucal de mulheres após a menopausa

As mulheres depois da menopausa estão sujeitas a diversas alterações metabólicas importantes com impactos na saúde bucal.

São alterações que se manifestam em doenças sistêmicas e vasculares.

Condições como boca seca, percepção alterada e sensação queimação (refluxo) são consequências destas doenças sistêmicas. Ou resultado da ingestão de medicamentos para as mesmas. Estudos indicam uma diminuição da secreção salivar, com alterações na viscosidade e no pH da saliva total com relação direta nas alterações orais, desenvolvendo distúrbios na mucosa oral, sendo a xerostomia um achado frequente.

Há ainda que considerar a diminuição da produção de estrogênios. O que trará impacto sobre o metabolismo ósseo, potencializando a osteoporose.
Medicamentos utilizados no tratamento da osteoporose têm um efeito prejudicial na cavidade oral. Podem provocar ou aumentar a osteonecrose óssea, denominada osteonecrose dos maxilares. Isso tem especial relevância para pacientes candidatos à implante dentário.

Fontes: American Journal of Hypertension, SaúdeOral
Posted by Victor in Estudos, 0 comments