Tendência que pode chegar ao Brasil: branqueadores à base de carvão e casca de coco

A nova tendência em matéria de saúde bucal na Europa são os branqueadores à base de carvão e casca de coco. Mas quais os impactos para a saúde dos usuários?

Na Europa alertas têm sido emitidos aos consumidores para os perigos dos branqueadores de dentes à base de carvão ativado e casca de coco. Estes branqueadores prometem dentes até nove tons mais brancos, mas o alerta é que “o carvão pode desgastar o esmalte, causar o recuo das gengivas e provocar sensibilidade dentária”.

Com esta composição no mercado europeu podem ser encontrados produtos de marcas como a Georganics, Zebra Teeth Whitening ou Bali Teeth Whitening, que já motivaram várias queixas por parte dos consumidores. O fato é que não existem até o momento provas científicas de que o carvão ativado melhore a saúde bucal.

Não há estudos científicos

Sobre os branqueadores de dentes à base de carvão ativado e casca de coco, importante salientar que todos os produtos indicados como ‘branqueadores’ não alteram a cor natural dos dentes. Devido ao seu caráter abrasivo permitem apenas retardar o aparecimento de pigmentação causada por hábitos do dia a dia. Dado o poder abrasivo destes produtos não é indicado seu uso diário, pois gradualmente provocam um desgaste da superfície dentária, do esmalte e também causam consequências a nível gengival.

Cabe salientar a ideia de que para branquear os dentes tem de existir aconselhamento por parte do dentista e efetivamente só serão óbitos resultados satisfatórios e ao mesmo tempo seguros através da utilização de agentes branqueadores comprovados cientificamente.

Dentalis software – em sintonia com as novas tendências em odontologia do século 21

Deixe uma resposta