O que sabemos até agora sobre uma vacina contra o covid-19?

vacina contra o covid-19

Em tempos de epidemia muitos se perguntam: quando teremos uma vacina contra o covid-19?
A Organização Mundial da Saúde anunciou que estão sendo avaliadas 83 possíveis vacinas candidatas contra o covid-19 (em 23 de abril).
Desse total, sete delas já foram aprovadas para testes em humanos por meio de ensaios clínicos.

Conheça os sete candidatos a vacina contra o covid-19?

Vacina contra o covid-19: na China

Dos sete, três estão sendo testados em Pequim.
Dessas três, uma delas já se encontra em um estudo de fase II. É o resultado dos esforços de duas empresas: CanSino Biological e Beijing Institute of Biotechnology.
A vacina, que usa um vetor de adenovírus, deve ser testada em 375 adultos saudáveis, com 125 pessoas no grupo controle.
Serão analisadas as reações adversas em 14 dias.
Serão avaliados os níveis de anticorpos neutralizantes do covid-19 e de anticorpos contra a proteína spike no vigésimo oitavo dia. A proteína spike está presente nas suas espículas (como as pontas de uma coroa) que dá nome à família do vírus. É essa proteína que se liga a uma proteína “receptora” situada no exterior das células humanas. É dessa forma que o vírus penetra no organismo humano.

Os participantes serão acompanhados por até seis meses.
A boa notícia é que essa vacina já evolui para a fase II.
No entanto, os resultados do estudo de fase I, que analisaram reações adversas sete dias após a injeção, não foram divulgados.

A Sinovac, outra empresa com sede em Pequim, está atualmente testando sua vacina covid-19 contra vírus inativados.
É um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, fase I, envolvendo 144 adultos.

A empresa planeja testar a vacina em outras 600 pessoas, durante o estudo de fase II.
Uma pré-impressão sobre a eficácia da vacina em camundongos, ratos e primatas não humanos descobriu que conferia “proteção completacontra as cepas de SARS-CoV-2 que circulam em todo o mundo.

Um terceiro candidato, do Instituto de Produtos Biológicos de Pequim e do Instituto Wuhan Produtos Biológicos também está sendo avaliado.
No entanto, pouca informação sobre esta vacina está disponível.

Vacina contra o covid-19: no Reino Unido

Pesquisadores da Universidade de Oxford estão testando sua vacina ChAdOx1 nCoV-19.
Ela utiliza um vetor de vacina adenovírus e a proteína spike SARS-CoV-2.

Em 1102 voluntários saudáveis, onde a vacina MenACWY (licenciada para os grupos A, Meningococos C, W e Y) age como controle.

Eles escolheram a vacina MenACWY como controle, em vez de uma solução salina, porque esperam ter efeitos colaterais menores. Efeitos como dor no braço, dor de cabeça e febre no grupo da vacina covid-19 que não se desenvolveria em um grupo salino, disseram eles.

Vacina contra o covid-19: nos Estados Unidos

Inovio Pharmaceuticals começou a testar sua vacina de base DNA em Abril.
Eles acreditam que seja possível a obtenção de uma vacina eficaz contra o covid-19 no prazo de 12 a 18 meses.

Outra empresa americana, a Moderna, desenvolveu uma vacina chamada mRNA-1273 com o National Institute of Allergy and Infectious Diseases.

Os primeiros pacientes foram injetados em março. O estudo para examinar a segurança da vacina agora está sendo expandido para incluir 60 adultos.
A vacina, que utiliza uma base de RNA, está sendo administrada em duas doses, com o segundo round 28 dias após o primeiro.
Se o teste for bem-sucedido, a vacina passará para a fase II. Nessa fase sua eficácia contra o covid-19 será testada.

Vacina contra o covid-19: Estados Unidos e Alemanha

O sétimo estudo aprovado é de um programa de vacinas desenvolvido pela alemã BioNTech e pela Pfizer.
Ela envolve quatro vacinas em potencial que serão testadas inicialmente na Alemanha em 200 participantes saudáveis,
Na segunda parte do teste as empresas planejam incluir pessoas com maior risco de covid-19 com maior gravidade.

Cada um dos quatro candidatos a vacina representa diferentes formatos de mRNA e antígenos alvo.

As empresas também estão colaborando com a farmacêutica chinesa Fosun Pharma para conduzir ensaios na China.
Também planejam ensaios nos EUA (aguardando aprovação regulatória).

O quanto difícil é desenvolver uma vacina contra o covid-19?

Segundo um dos pesquisadores, o desenvolvimento de uma vacina deve ser relativamente fácil. Isso porque, diferentemente da influenza e do HIV, o vírus da covid-19 parece relativamente estável.

O mesmo pesquisador afirma estar confiante no surgimento vacinas eficazes. Três fatores contribuem para isso: o grande número de equipes trabalhando, diferentes abordagens, e o fato desse vírus não ser um alvo tão difícil quanto algumas das coisas vistas anteriormente.

Quanto tempo normalmente se leva para se desenvolver uma vacina?

O desenvolvimento de uma vacina é um processo demorado que normalmente leva mais de 10 anos. Tem um custo na casa dos milhões de dólares.

Os ensaios clínicos exigem muitos anos de testes em milhares de pessoas. Eles normalmente começam após cerca de dois a cinco anos da pesquisa inicial. Essa pesquisa inicial avalia a resposta imune e depois outros dois anos de testes pré-clínicos envolvendo testes em animais.

Se a vacina for considerada segura e eficaz, ela deve passar nos requisitos regulamentares e obter aprovação.

Mesmo depois de concluído, o processo de fabricação e entrega de uma vacina é caro e complexo. Isso porque exige instalações especializadas e regulamentadas.

Na crise atual, foi proposto um novo período de 12 a 18 meses. Isso com equipes de todo o mundo trabalhando com velocidade cada vez maior para encontrar um candidato eficaz.
São necessárias enormes somas de dinheiro para financiar uma ampla variedade de candidatos e diferentes abordagens.

O que acontece se uma vacina bem-sucedida for encontrada?

Para que uma vacina seja lançada em todo o mundo, irão ser necessários bilhões de doses.
Haverá necessidade de aumentar grandemente a capacidade de fabricação global.
Para que isso aconteça, novos locais de fabricação precisarão ser construídos antes da conclusão dos testes clínicos.
Isso para garantir que a produção inicie assim que a vacina for aprovada.
Os locais de produção deverão estar distribuídos ao redor do mundo para garantir uma distribuição igualitária.

Como disse o diretor da OMS: “Nosso compromisso compartilhado é garantir que todas as pessoas tenham acesso a todas as ferramentas para prevenir, detectar, tratar e derrotar o covid-19.
Nenhum país e nenhuma organização podem fazer isso sozinhos. ”

A vacina pode acabar com a pandemia?

Não se tem certeza de quando uma vacina eficaz estará disponível. Até lá é necessário adotar os cuidados necessários para se combater ao máximo o avanço da pandemia.

Há um longo histórico de previsões de vacinas super otimistas.
Mesmo que uma vacina se torne disponível, ainda é muito cedo para especular se terá alta ou baixa eficácia.

A atenção às políticas públicas deve continuar focada na disponibilização de mais testes. E também na capacidade de ampliação do sistema de saúde para o atendimento.
O gerenciamento do isolamento social e dos custos deve se dar pelo maior tempo possível.

Curiosamente no dia 02/07/2018, aqui no blog Dentalis já alertávamos para o risco do surgimento de um novo vírus com potencial de dar origem a uma pandemia.

Uma pandemia é uma guerra. É uma luta mundial. A participação e o os esforços de todos são fundamentais para que possamos juntos vencê-la.

Fonte: bmj

Deixe uma resposta