Vem aí: Planejamento do tratamento ortodôntico sem Raios X

Quando um paciente necessita de tratamento ortodôntico, é prática comum capturar o eventual mal posicionamento dental com radiografia. Cientistas do Hospital Universitário de Heidelberg já publicaram um estudo no qual um plano de tratamento alternativo sem exposição à radiação foi investigado. O estudo mostrou que a tecnologia da ressonância magnética (RM) pode fornecer imagens precisas de estruturas craniofaciais.

Os pesquisadores foram capazes de provar que pontos de referencia – importantes pontos anatômicos nas mandíbulas superiores e inferiores podem ser medidos com RM com tanta acurácia quanto em radiografias cefalométricas laterais: “Em comparação com as radiografias, tivemos diferenças muito pequenas, dentro de um desvio padrão habitual aceitável. No entanto, a grande vantagem da RM está no fato de que não requer qualquer exposição à radiação. Apesar da dose de radiação ser baixa em exames dentários, é preferível para evitar esse tipo de exposição em crianças e adolescentes”, disse o líder do estudo o Prof. Martin Bendszus, que agora tenciona aplicar a técnica em uma escala maior. A tecnologia da RM poderia também ser aplicada quando imagens em 3D são necessárias para casos específicos de ortodontia, por exemplo em pacientes com grave má oclusão.

O Estudo

No estudo, 20 participantes com idades entre 8 e 26 anos foram examinados e fizeram uma RM e radiografias cefalométricas laterais. Em seguida dois peritos de forma independente identificaram 18 marcos importantes nas mandíbulas, com base em um programa de computador específico que calculou 14 ângulos e dez distâncias importantes para o planejamento do tratamento ortodôntico. Uma comparação dos dados revelou um desvio de um máximo de 3 graus para os ângulos e um máximo de 3 mm para as distâncias entre as radiografias e as imagens de RM. De acordo com os peritos, essas diferenças estão dentro da faixa de tolerância de métodos de imagem. Além disso, principalmente para pacientes jovens, o curto tempo de gravação de menos de dez minutos é uma vantagem, disseram eles, e a administração de contraste não é necessária.

Os pesquisadores veem um grande potencial para o novo método. “Podemos melhorar o diagnóstico porque, no futuro, também vamos ser capazes de oferecer os ensaios clínicos utilizando análise de 3-D, o que é ainda mais precisa”, disse Bendszus. Ele passou a explicar que a RM dentária não só é adequado para crianças, mas também pode fornecer informações adicionais essenciais na odontologia do adulto. Especialmente para doenças dentárias comuns, tais como periodontite, a tecnologia da RM pode ser eficaz para o diagnóstico precoce com base em alterações de tecidos moles. Isso está em contraste com uma radiografia que mostra somente as alterações na estrutura óssea.

O estudo intitulado “Análise cefalométrica lateral para o planejamento do tratamento em ortodontia baseada em RM em comparação com radiografias: um estudo de viabilidade em crianças e adolescentes”, foi publicado on-line em 23 de março no PLOS ONE JOURNAL.

Dentalis software – a escolha certa em software para odontologia

 

Deixe uma resposta